17 de abril de 2021 Atualizado 18:12

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Pet

Oncologia geriátrica veterinária prolonga vida dos pets com qualidade

Médica veterinária especialista aponta os principais critérios que norteiam os tratamentos

Por Isabella Holouka

08 set 2020 às 10:02 • Última atualização 08 set 2020 às 13:41

O Brasil possui a segunda maior população de animais de estimação do planeta e metade destes animais desenvolverão algum tipo de neoplasia ao atingir a terceira idade, por volta dos 7 anos, como consequência da longevidade, falha da imunidade e dos genes de reparo ou exposição a carcinógenos ambientais como o cigarro.

Os cuidados oncológicos são uma alternativa para prolongar o tempo dos pets, com o máximo de qualidade de vida possível.

Segundo a médica veterinária Marcela Custódio Scherr, mestre em genética do câncer e doutoranda em imunoterapia em pequenos animais pela Unicamp, diretora clínica do Centro de Oncologia Veterinária Vitae, os tratamentos seguem critérios.

Os cuidados oncológicos são uma alternativa para prolongar o tempo dos pets – Foto: Imagem de J C por Pixabay

“O principal objetivo do tratamento oncológico no paciente idoso é melhorar a vida do animal. Procuramos encarar o câncer como uma doença crônica, buscamos aumentar não só o tempo como a qualidade dele”, explica ela, apontando as seguintes diretrizes:

  • Respeito às limitações fisiológicas de cada animal, com averiguação das funções renal, cardíaca e hepática, como o objetivo de minimizar toxicidade e efeitos colaterais dos químioterápicos;
  • Diálogo com a família a fim de otimizar recursos;
  • Respeito ao temperamento do animal, adequando a via de administração de fármacos para minimizar o estresse de manipulação;
  • Combinação de diferentes modalidades de tratamento, afim de evitar cirurgias multiladoras e agressivas.

Ao final, ela ressalta a importância de procurar um profissional cuja experiência permita individualizar a conduta terapêutica, o que beneficia toda a família, a partir do momento em que se tem certeza de que o cão foi bem cuidado.

“O meu cachorro me ama e confia em mim, no dia que a nossa despedida for inevitável quero olhar nos olhos dele com o coração triste, mas leve. Com a sensação de dever cumprido, sabendo exatamente o que o adoeceu, certo que todas possibilidades terapêuticas foram esgotadas e de fato não há nada que eu possa fazer. Então cada um de nós seguirá livre do sofrimento físico, mas com o coração cheio de memórias”, finaliza a especialista.

Serviço – Vitae Oncologia Veterinária
(19) 99313-2599
Facebook.com/vitae.oncologia
vitaeoncovet@gmail.com
Futuras instalações: Rua Gonçalves Dias, 260, Vila Medon

Publicidade