18 de junho de 2021 Atualizado 23:05

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Pet

Emocional também interfere na saúde do pet

Atividades físicas e cognitivas, enriquecimento ambiental e carinho são fundamentais para a qualidade de vida do animal

Por Isabella Holouka / Natália Velosa

06 Maio 2021 às 08:32

Assim como acontece com os seres humanos, os animais podem sofrer com quedas no sistema imunológico, ficando mais suscetíveis a doenças a partir de quadros de ansiedade ou estresse.

“O emocional influencia diretamente no patológico. Se o cão fica sem estímulo, fica estressado e ansioso, o sistema imunológico baixa e ele fica mais suscetível a ficar doente”, explica o médico veterinário Bruno Barreto, do Royal Pet Social Club, em Americana.

“Com o sistema imunológico baixo, se ele for ao pet shop e encontrar determinado vírus ou bactéria, pode ficar doente”, complementa.

Neste sentido, as atividades físicas, o enriquecimento ambiental e a realização de atividades cognitivas, que estimulam conhecimentos – além do carinho habitual – são fundamentais para a qualidade de vida do animal, com o efeito de evitar doenças e possibilitar que o cão viva mais.

“O enriquecimento do dia a dia do cão deveria ser tratado pelos tutores como uma obrigatoriedade, porque está diretamente relacionado ao bem-estar do cão”, defende o médico veterinário.

Segundo ele, são comuns os casos em que os cachorros chegam à automutilação, com mordedura de patas ou cauda por ficarem boa parte dos dias sozinhos e sem atividades.

Para reverter essa situação, ele indica que os tutores dediquem pelo menos 30 minutos a uma atividade específica com o pet, quatro ou cinco vezes ao dia, sempre respeitando a necessidade do animal por mais ou menos estímulos. As atividades são complementares aos passeios na rua.

Publicidade