27 de novembro de 2020 Atualizado 08:44

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Moto

Yamaha MT-03 tem evolução explícita

Visual arrojado, painel digital e suspensão mais esportiva tornam a Yamaha MT-03 mais atraente

Por Eduardo Rocha / Autopress

05 set 2020 às 15:12

A naked MT-03 é uma motocicleta gêmea da superesportiva R3. Por isso mesmo, era questão de tempo para que os aprimoramentos de uma acabassem na outra. No ano passado, a R3 ganhou novo painel, suspensão dianteira mais sofisticada e um leve refinamento visual.

A segunda geração da MT-03 segue os mesmos passos: passa a contar com uma suspensão dianteira invertida e painel totalmente digital, mas as mudanças no visual não foram tão discretas assim.

Yamaha MT-03 – Foto: Divulgação

A naked bebeu na fonte da ousada MT-09, com um conjunto ótico full led, que traz na frente uma assinatura com dois traços que lembram olhos, com um canhão de luz central, e um aspecto de um capacete robótico.

Esta carenagem tem um formato “bicudo” e envolve o novo painel, em uma tela de LCD, no lugar do antigo que combinava conta-giros com ponteiro com um velocímetro digital.

De perfil, a Yamaha adotou o conceito “Steel Bull”, ou touro de aço, com o tanque projetado para cima com uma curva acentuada, como se fosse uma corcova. Nas laterais do tanque, as duas aletas se projetam na parte frontal e uma parte da caixa lateral dão a cor da moto – que pode ser cinza claro fosco, com rodas e detalhes vermelhos, azul com rodas azuis e detalhes em cinza e preto metálico com rodas e novos detalhes em cinza.

Todas as peças restantes da moto são em preto fosco. A parte traseira, a partir do assento do piloto, parece flutuar.

Nas laterais da moto, duas colunas com luzes-espia para monitorar as funções da moto. Do lado direito, a MT-03 ganhou uma Shift Light, que indica o momento de troca de marcha – e que é configurável para rotações a partir de 7 mil ‑ a faixa vermelha inicia em 14 mil giros.

A MT-03 não sofreu qualquer mudança no trem de força, que conta com tecnologias bem sofisticadas, como pistões forjados em alumínio, como em motos de competição, e também cilindros feitos em Diasil, uma liga de alumínio e silício. O motor bicilíndrico com arrefecimento líquido manteve os 42 cavalos de potência a 10.750 giros, e os 3,02 kgfm de torque alcançados a 9 mil rpm.

Para conseguir este rendimento, o motor do novo modelo conta também com virabrequim com encaixes descentrados em relação às bielas, para criar uma alavanca que facilita a movimentação dos pistões e melhora o desempenho em baixas e médias rotações. O peso total da motocicleta é de 169 kg, ou 2 kg mais leve que a R3.

A segunda geração da MT-03 chega com preço aumentado em exatos R$ 900, justificado pela introdução de equipamentos mais caros, como é o caso da suspensão. Ela sai agora a R$ 25.490, sem frete. A garantia continua sendo de quatro anos.

Publicidade