20 de janeiro de 2021 Atualizado 20:51

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Modelo Exploratório

Peugeot apresenta no México a picape média Landtrek

Aposta da marca para o mercado latino-americano chega ao Brasil em 2022 com motorização inédita

Por Da redação / Auto Press

28 nov 2020 às 10:20 • Última atualização 28 nov 2020 às 10:21

A Peugeot tem uma longa história entre veículos utilitários. Mesmo no Brasil, onde a imagem da marca não é associada ao segmento, modelos como Partner, Expert e Boxer colocam a fabricante francesa em 4º lugar na venda de vans.

Com a nova picape média Landtrek, apresentada oficialmente no México, a Peugeot pretende morder a parte mais carnuda do mercado de comerciais leves na América Latina.

Peugeot Landtrek – Foto: Divulgação

Embora tenha poucas picapes no currículo, a marca fez história com a 504 GR, produzida na Argentina por mais de 15 anos e importada para o Brasil e até para a França. Isso, no entanto, foi há 20 anos.

De lá para cá, a única experiência da marca não foi das mais memoráveis – tanto que sequer foi citada na apresentação da Landtrek foi com a compacta Hoggar, construída sobre a plataforma do 207 brasileiro – na verdade, um 206 remodelado – que ficou em linha entre 2009 e 2014.

Peugeot Landtrek – Foto: Divulgação

A Landtrek está sendo produzida inicialmente na China pela Changan, parceira também no desenvolvimento da picape, e é vendida por lá com o nome Kaicene. Inicialmente, ela será vendida no México, Uruguai, Paraguai e Chile, entre outros. Brasil, Argentina e Colômbia só receberão a versão que será produzida no Uruguai, a partir de 2022.

Um bom motivo para não ser lançada agora no Brasil é a motorização escolhida para o modelo. A Peugeot vai oferecer um motor turbodiesel 1.9 litro com 150 cv e 35,7 kgfm com câmbio manual de seis marchas e um 2.4 litros a gasolina com 210 cv e 32,6 kgfm com câmbio de seis velocidades manual ou automático.

Peugeot Landtrek – Foto: Divulgação

No Brasil, 80% do segmento de picapes médias é para modelos com motor diesel, sendo que os mais “fraquinhos” têm 170 cv e câmbio automático – no caso, a Fiat Toro.

Possivelmente, para a Landtrek destinada ao mercado brasileiro, a Peugeot deve recorrer a motores mais convincentes. Afinal, uma das missões da nova picape é fortalecer a imagem da marca em mercados fora da Europa e aumentar o volume de na América, coisa que só será possível com especificações mais ao gosto do brasileiro, maior mercado da região, que responde por cerca de 150 mil unidades por ano.

Peugeot Landtrek – Foto: Divulgação

A Landtrek chega apenas na versão cabine dupla, mas o projeto prevê ainda configurações, cabine simples e chassi-cabine. A picape mede 1,96 metro de largura e tem 3,18 m entre os eixos, com 5,33 metros de comprimento – a versão com cabine simples terá 5,39 metros.

A capacidade de carga é maior que as rivais da categoria. Tanto pela carga, que é entre 1.020 e 1.200 kg, e pela capacidade de reboque de 3 mil kg, quanto pelas medidas da caçamba.

Peugeot Landtrek – Foto: Divulgação

A cabine dupla tem 1,22 m na parte mais estreita, 1,60 m na mais larga, com 1,63 m de comprimento, e 50 cm de altura, enquanto a versão cabine simples tem a caçamba 80 cm mais comprida. Ambas as variantes têm capacidade de travessia de 60 cm, altura livre para o solo entre 21,4 e 23,5 cm, ângulo de ataque de 30°, de saída de 26° na cabine simples e 27° na cabine dupla.

Uma solução inteligente é o banco traseiro bipartido, que permite elevar o assento ou rebater o encosto em 50/50, para acomodar bagagens que não se queira deixar na caçamba. Há ainda a possibilidade de configurar a primeira fila com três assentos, o que abre capacidade para seis ocupantes.

O console é moderno e resgata vários elementos de design comuns aos modelos da marca. O destaque fica para a tela de 10 polegadas que monitora o sistema multimídia com suporte para Apple CarPlay e Android Auto.

Os materiais de revestimentos aparentam boa qualidade e a Peugeot promete oferecer uma experiência de direção semelhante à de seus carros. O modelo oferece ainda ar-condicionado duplo, computador de bordo, até seis airbags, controles de estabilidade, de descida, de tração e de reboque, monitor de faixa, câmeras reversas com função de 180° ou 360° para auxiliar no off-road.

Por fora, o design busca destacar a robustez, com toques modernos, como a grade da Peugeot ladeada por duas “garras” iluminadas. Existem diferenças entre as versões de trabalho e as luxuosas.

Mudam luzes dianteiras e traseiras, para-lamas e o design da tampa traseira, que traz o logotipo da Peugeot em relevo no segundo caso e um adesivo com Peugeot na versão de trabalho.

O design do teto também muda com elementos opcionais, como barras decorativas na parte traseira e barras de teto. A versão de cabine simples apresenta ganchos do lado de fora e degraus embutidos dos dois lados.

Publicidade