22 de outubro de 2020 Atualizado 12:03

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Beleza com fundamento

Peugeot 208 aposta no design futurista para voltar a crescer no Brasil

Carro quer retomar sucesso do saudoso 206 e dê uma espécie de “reboot” na marca no Brasil

Por Eduardo Rocha / Auto Press

12 set 2020 às 10:06

A Peugeot alimenta uma grande esperança em relação ao novo 208, que passou a produzir na Argentina. A torcida da fabricante é que o novo hatch compacto dê uma espécie de “reboot” na marca no Brasil e repita o desempenho do 206, o bem-sucedido ancestral da chamada série 2 da marca produzido no Brasil entre 2001 e 2009.

A base para a aposta é a mesma: o visual especialmente atraente do hatch compacto, inclusive do interior, que traz a segunda geração do painel i-cockpit, com efeito 3D.

Carro traz a silhueta da série 2 da marca, e a traseira chama a atenção pelo painel em preto brilhante ligando as lanternas – Foto: Eduardo Rocha / CZN

Em relação ao 208 que sai de linha agora, o novo 208 traz a plataforma modular CMP, que ficou um pouco maior, mas manteve o velho motor EC5, um 1.6 16V flex, com 115/118 cv e 15,4/15/7 kgfm. Ele sempre é gerenciado pelo câmbio automático de seis marchas, que equipava as versões superiores do 208 que saiu de cena no Brasil.

Atualmente, o poder de escolha do consumidor em relação ao novo 208 se resume ao conteúdo. O modelo chega com quatro versões: Active, Active Pack, Allure e Griffe.

A versão Active traz de série travas, direção e vidros elétricos, ar, direção, controle de cruzeiro com limitador de velocidade, airbags laterais, sistema multimídia com tela de 7 polegadas, luz diurna e rodas de liga leve aro 16.

Esta variante tem preço de R$ 74.990 e passa a ser o modelo mais barato oferecido pela Peugeot no Brasil. A versão Active Pack adiciona teto panorâmico, ar-condicionado automático e câmera de ré, e acrescenta RS 8 mil ao preço, de R$ 82.990.

Na versão Allure aparece o novo i-Cockpit 3D e ainda bancos em alcântara, carregador de celular por indução, chave de proximidade para travas e ignição, rodas diamantadas e volante em couro. Ela custa R$ 89.990.

A versão acima é a Griffe, que adiciona faróis full led, sensor de luz, chuva e obstáculos traseiro, alerta de colisão, frenagem automática de emergência, controle de faixa de rolagem com esterçamento do volante, câmera traseira com 180°, farol alto automático, detector de fadiga e sistema de reconhecimento de placas de velocidade. O preço vai a R$ 94.990.

Nas versões oferecidas no Brasil, a Peugeot deixou de fora alguns itens de segurança e de assistência ao motorista oferecido no modelo francês, como controle de cruzeiro adaptativo com sistema stop and go, sensor para ponto cego, monitor de pressão dos pneus e airbag de cortina.

Estes equipamentos podem aparecer, porém, na versão e-GT – chamado na França de e-208 GT ‑, prometida para o início de 2021. Trata-se de uma versão elétrica, com um motor de 100 kW, o equivalente a 136 cv, com 26,5 kgfm e um booster de 4 kgfm adicionais.

Na Argentina, o 208 ainda é oferecido em uma terceira motorização, a Pure Tech 1.2 Turbo a gasolina, com 130 cv e 23,5 kgfm. A Peugeot, por enquanto, desistiu de trazer a versão ao Brasil por conta do custo para adaptar a motorização.

A verdade é que o 208 passou por alguns percalços até ser lançado por aqui. O projeto inicial do carro previa que o modelo chegasse em maio, o que foi adiado por conta da pandemia de Covid-19.

Publicidade