03 de dezembro de 2020 Atualizado 00:17

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

2ª geração

Pandemia adia lançamento da nova picape Strada

As novidades na nova Strada são muitas: uma delas é que o modelo passa a ter agora apenas duas configurações de carroceria

Por Autopress

12 abr 2020 às 11:22

Nos últimos anos, a Fiat enxugou a linha de produtos no Brasil e teve boa parte de suas vendas concentradas em utilitários, como picapes e furgões. Por isso, é extremamente estratégica para a empresa a chegada da segunda geração da picape Strada, o modelo mais vendido da marca nos últimos anos.

Clique aqui e se inscreva no nosso canal do Telegram e receba as notícias no seu celular!

Foto: Divulgação
Modelo passa por transformação e agora terá duas configurações de carroceria

Só que este lançamento, previsto para início de abril, entrou em choque com a política de isolamento social imposta pelo surto do novo coronavírus (Covid-19). A nova Strada já estava até sendo montada em Betim, mas todos os trabalhos foram paralisados a partir do dia 27 de março, o que adiou a estreia do modelo para o segundo semestre deste ano.

Ainda assim, outras ações previstas no organograma do produto foram mantidas, como a publicação de uma página oficial no site da Fiat e a liberação de informações sobre as mudanças no modelo.

As novidades na nova Strada são muitas. O modelo passa a ter agora apenas duas configurações de carroceria: a tradicional cabine simples e a nova cabine dupla, com quatro portas e cinco lugares. As versões básica e intermediária, Endurance e Freedom, terão tanto cabine simples quanto dupla, enquanto a versão de topo Vulcano só será feita com cabine dupla.

As versões com cabine estendida e capine dupla de três portas e quatro lugares serão mantidas na atual geração, que continua a ser vendida na versão Hard Working. O velho modelo, que está em produção pelo 25º ano, sai de cena em 2021, quando itens de segurança como sistema de fixação Isofix e controle de estabilidade serão obrigatórios – a Fiat calculou que não valeria investir em mudanças em um projeto tão antigo do carro.

Em linhas gerais, esta nova geração segue o mesmo conceito de design da Toro, sendo que a frente mistura também elementos da família Argo. A grade ocupa boa parte da altura da parte frontal, como no hatch, mas o conjunto ótico é mais estreio e tem a parte inferior lisa, numa referência à Toro.

A traseira traz lanternas que contornam os cantos da caçamba, bem similares às da Toro. A tampa se abre da forma tradicional, girando sobre a própria base.

A nova Strada fica apenas 4 cm maior que a atual, com 4,48 metros de comprimento nas duas versões e passa a ser 6 kg mais leve com cabine simples, com 1.078 kg, e 29 kg mais pesada na cabine dupla, com 1.174 kg.

O entre-eixos cresceu 2 cm e passa a ser de 2,74 metros, e a distância livre para o solo cresceu e ficou em 20,8 cm – a Strada normal tem 17 cm e a Adventure, 19,4 cm. A capacidade de carga passou de 705 kg para 720 kg na cabine simples, enquanto na cabine dupla se manteve em 650 kg. A Fiat indica a capacidade apenas 70 kg menor, embora a diferença de peso entre as versões seja de 96 kg – com a mesma suspensão, ao limite da cabine dupla deveria cair para 630 kg.

Em relação ao volume da caçamba, ela passou de 1.220 para 1.354 litros na cabine simples e de 680 para 844 litros na cabine dupla. A altura interna da caçamba do veículo subiu de 58,9 para 60,6 cm nos dois casos.

Sob o capô, a novidade é a adoção do motor Firefly 1.3, originário do Uno, nas versões Freedom e Vulcano. Ele rende 101/109 cv de potência e 13,7/14,2 kgfm de torque, com gasolina/etanol.

A versão básica Endurance virá com o cansado motor Fire Evo 1.4, que rende apenas 85/88 cv e 12,4/12,5 kgfm com gasolina/etanol. Este mesmo motor é o único disponível na versão que ficará remanescente da atual geração Hard Working. Os preços da nova Strada devem iniciar em torno de R$ 60 mil, na versão Endurance cabine simples, e chegar a R$ 85 mil, no caso da Vulcano cabine dupla, sem opcionais.

Publicidade