14 de julho de 2020 Atualizado 20:41

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Lançamento

Nissan Leaf quer firmar imagem moderna da marca

Mesmo assim a montadora japonesa não tem grandes expectativas de vendas no país, já que se trata de um veículo de “vitrine”

Por Auto Press

30 jul 2019 às 08:51

A Nissan ensaiou muito até se definir pela importação para o Brasil do Leaf, de seu modelo elétrico mais famoso. Lá fora, o hatch já atingiu a marca de 400 mil unidades vendidas, um número tímido se for levado em conta que está em seu 10º ano de mercado. E a chegada no Brasil não deve alterar esse ritmo em nada.

A previsão é que sejam vendidas apenas 200 unidades por ano. Em parte, por se tratar de um carro de imagem, que nem pretende alcançar volumes mais expressivos.

Nissan LeafNissan LeafNissan LeafNissan LeafNissan LeafNissan LeafNissan LeafNissan LeafNissan Leaf

Mas também porque o preço do modelo o retira de qualquer lógica objetiva de mercado. Ele chega oficialmente por R$ 195 mil, depois de ter tido 19 unidades reservadas em pré-venda desde o Salão do Automóvel de São Paulo a R$ 178.400 cada.

Segundo o presidente da Nissan do Brasil, Marco Silva, se a empresa fosse esperar que o país tivesse uma infraestrutura montada para modelos elétricos, o Leaf não seria lançado tão cedo. Mesmo que se espere que o modelo não seja um sucesso de vendas, interessa também à Nissan a valorização da imagem da marca e de sua capacidade tecnológica. O hatch médio elétrico, de fato, traz um enorme arsenal eletrônico para a gestão dos sistemas elétricos que movimentam o modelo.

Foto: Eduardo Rocha / Carta Z Notícias
Nissan Leaf

O modelo que vem para o Brasil é construído na fábrica japonesa em Yokohama, e a versão escolhida equivale à básica S vendida nos Estados Unidos – tem ainda as versões SV e SL.

Conforto

No catálogo brasileiro, o Leaf tem itens de conforto e controle dinâmico comparáveis aos de um hatch médio. Estão lá ar-condicionado automático, iluminação full led, acabamento em couro, volante multifuncional, controle de cruzeiro, controle de tração, de estabilidade, assistente de partida em rampa, seis airbags, sistema multimídia com tela touch e conexão Bluetooth, câmera de ré 360º com sensor de obstáculos, entre outros. Até aqui, tudo muito familiar aos carros convencionais.

Foto: Eduardo Rocha / Carta Z Notícias
Nissan Leaf

Todos esses recursos são monitorados a partir do painel digital em TFT. Assim como a carga da bateria. Junto com o Leaf, a Nissan entrega um equipamento de recarga, com instalação incluída, que permite a recarga completa entre 6 e 8 horas.

Há também um cabo para recargas de emergência, que pode ser usado em tomadas residenciais comuns. O tempo de recarga, nesse caso, é de 30 horas. Já em um equipamento de recarga rápida, como em alguns pontos específicos, 80% da capacidade pode ser recuperada em 40 minutos, mas este método não é indicado pois reduz a vida útil da bateria.

Foto: Eduardo Rocha / Carta Z Notícias
Nissan Leaf

Inicialmente, o Leaf será vendido no Distrito Federal e em mais cinco cidades: Rio, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre e Florianópolis. A garantia é de três anos para o modelo e oito para o conjunto de baterias (que custa R$ 60 mil).

Ponto a ponto

Desempenho
Toda a lógica de mobilidade do Nissan Leaf induz a um uso mais tranquilo e controlado, de olho na autonomia. Mas a capacidade do hatch elétrico extrapola muito esta proposta.

Estabilidade
O sistema suspensivo do Leaf é bem tradicional: McPherson na frente e barra de torção atrás, com barras estabilizadoras nos dois eixos. Mas a peculiar lógica de construção torna o modelo extremamente estável.

Interatividade
O volante multifuncional traz os controles de telefone, som, controle de cruzeiro e computador de bordo, que tem vários recursos de monitoramento do funcionamento do veículo.

Conforto
O espaço interno e os recursos são semelhantes aos de um hatch médio. A suspensão é rígida, até para lidar com o peso do veículo. Por isso, boa parte das irregularidades são transmitidas para os passageiros.

Acabamento
O interior do Leaf não é condizente com o de um carro que custa quase R$ 200 mil. Há revestimento em couro nos bancos e no apoio de braços nas portas, mas todos os painéis são em plástico rígido e não há qualquer glamour ou luxo. É um ponto fraco no modelo.

FICHA TÉCNICA

Nissan Leaf

Motor: Elétrico
Potência: 110 kW
Peso: 1.557 kg.
Porta-malas: 453 litros.
Lançamento no Brasil: 2019.
Produção: Oppama, Japão.