27 de fevereiro de 2021 Atualizado 11:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

RAIZ

Luxo e muito espaço no novo modelo da Chevrolet Trailblazer Premier

Sem abrir mão da capacidade off-road, mudança que mais chama a atenção foi no visual da dianteira

Por Eduardo Rocha / Auto Press

30 jan 2021 às 09:43 • Última atualização 30 jan 2021 às 10:43

Em um País onde o agronegócio é o grande gerador de riqueza, o topo da pirâmide entre os SUVs são os modelos mais robustos, derivados de picapes, capazes de andar por qualquer caminho. Essa trilha foi aberta há mais de 20 anos pela Chevrolet com o Blazer, que na segunda geração, em 2012, originou o Trailblazer.

Em setembro de 2020, o modelo passou por uma atualização que mexeu no visual, no motor, na estrutura e no conteúdo – algumas dessas novidades acompanharam as promovidas na S10, picape com quem divide a linha de montagem.

No visual, mudança que mais chama a atenção ocorre na dianteira, com nova grade e para-choque – Foto: Eduardo Rocha / Carta Z

O Trailblazer é vendido apenas com motorização 2.8 litros turbodiesel com tração 4X4 com reduzida na versão Premier, a mais requintada da marca. E o valor expressa esta condição do automóvel claramente: R$ 293.500.

A mudança que mais chama a atenção foi no visual da dianteira, onde foram alterados basicamente a grade e o para-choque. A frente é exclusiva do modelo, e não mais dividida com a S10.

A grade traz na parte alta duas grossas barras cromadas acima e abaixo do nome Chevrolet em relevo. A gravatinha foi deslocada para o lado esquerdo e na base do para-choque há uma moldura na cor prata, insinuando um “peito-de-aço”.

Os faróis de neblina agora são redondos e foram deslocados para uma área mais alta. Na parte estrutural, o modelo recebeu um reforço na chamada célula de sobrevivência, com o uso de aço de alta resistência nas travessas que protegem o habitáculo do carro.

Já em relação ao motor, a mudança foi pela adoção de uma turbina menor, o que reduz o turbo lag e promove acelerações mais progressivas e ganhos de velocidade mais consistentes ao veículo. A potência e o torque, no entanto, se mantiveram em 200 cv e 51 kgfm.

Em relação ao conteúdo, as novidades foram pontuais, já que o Trailblazer já era muito bem recheado e oferecia um bom nível de conforto. Entre as novidades, o sistema MyLink com 4G interno e roteador, já presente em modelos da marca, passa a fazer conexão com Apple CarPlay e Android Auto sem cabo.

Nos últimos dois anos, a Chevrolet vem direcionando a Trailblazer para atuar apenas na parte mais rentável desse segmento, que não é dos mais pujantes – a marca alcança historicamente a média entre 250 e 300 unidades mensais. Em meados de 2019, acabou com a versão LTZ e passou a trabalhar com a configuração Premier.

Publicidade