13 de abril de 2021 Atualizado 15:08

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Motors

Harley-Davidson aposta na Low Rider S

Modelo assumiu de forma surpreendente o posto de modelo de entrada no País

Por EDUARDO ROCHA - AUTO PRESS

28 mar 2021 às 17:45 • Última atualização 28 mar 2021 às 17:46

A Low Rider agora reaparece como integrante da linha Softail - Foto: Divulgação.JPG

A Low Rider S voltou ao catálogo brasileiro da Harley-Davidson no Brasil para linha 2020 com um certo glamour. Mas com a saída da linha Iron do catálogo da marca para 2021, o modelo assumiu de forma surpreendente o posto de modelo de entrada no País. Ainda mais porque o preço da moto é de salgados R$ 90.500.

O caso é que a marca estadunidense reduziu a oferta de motocicletas no Brasil de 19 para 12. A Low Rider agora reaparece como integrante da linha Softail – originalmente, o modelo era da família Dyna, que saiu de linha no fim de 2017.

A moto respeitou, no entanto, os principais elementos que sempre a caracterizaram, como o visual inspirado nos modelos criados na Califórnia nos anos 1980, com guidão alto e ausência de cromados, e o banco individual baixo, que dá nome a moto.

A Low Rider é animada pelo motor mais poderoso da marca no País: o Milwaukee-Eight 114, ou 1.868 cm³, com torque de 16,1 kgfm, um câmbio de seis marchas com transmissão por correia. Mais que suficiente para acelerar com vigor os 308 kg, em ordem de marcha.

Os freios dianteiros tem disco duplos, e o traseiro disco simples, com ABS. As linhas são elegantes, com um farol redondo clássico e uma pequena carenagem em volta. Apesar do visual clássico e da pegada bem analógica, a Low Rider S conta com algumas modernidades, como a chave presencial para a ignição, e iluminação led para farol, lanterna e piscas.

O guidão é elevado por duas hastes que se projetam a partir da mesa. Sobre o tanque de combustível ficam instalados dois relógios analógicos. O superior traz o velocímetro, um pequeno visor de cristal com as informações do computador de bordo e diversas luzes-espia, enquanto o inferior traz apenas o conta-giros. O grande porte do modelo – tem 2,36 metros de comprimento com 1,62 m de entre-eixos – é ainda mais valorizado pela baixa altura do assento, de 69 cm. O acabamento todo em preto fosco e preto acetinado, cria uma composição bem harmônica com a pintura em preto brilhante do tanque e dos para-lamas do modelo testado.

O tanque, com capacidade para 18,9 litros, tem até uma tampa falsa, apenas para criar simetria. Em 2020, a Low Rider S conseguiu emplacar 132 unidades, ou 11 por mês em média.

Publicidade