10 de maio de 2021 Atualizado 18:08

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Motors

Ford quer reacender interesse pelo Mustang no Brasil

Com a releitura do clássico Mach 1, modelo está previsto para chegar ao País em junho por R$ 499 mil

Por Auto Press

17 abr 2021 às 15:48

Todo ano, a Ford monta um arsenal de versões e edições especiais para seu esportivo mais famoso, o Mustang. No portfólio da marca nos Estados Unidos, há atualmente nada menos que 10 configurações para o modelo, desde do EcoBoost Fastback, que custa míseros US$ 27.155 – cerca de R$ 152 mil –, até o poderoso Shelby GT 500, que tem preço de partida de US$ 72.900 – equivalente a R$ 410 mil.

A marca aproveita o amplo espectro da linha para trazer a cada ano uma versão diferente do modelo. A primeira foi a GT Premium, vendida em 2018 e 2019. No ano passado, foi a Black Shadow. Para 2021, a escolha recaiu para a nova – e emblemática – Mach 1.

No line-up do modelo, o Mach 1 Premium fica abaixo apenas do Shelby GT 500 e, na configuração que está sendo importada, custa por lá aproximadamente US$ 60 mil – correspondente a R$ 337 mil. O modelo passa a ser oferecido pela marca no Brasil, com previsão de entrega a partir de junho, com preço de R$ 499 mil, exatos R$ 103 mil a mais que a versão Black Shadow, que ainda está sendo oferecida.

A Mach 1 é classificada pela Ford como uma edição limitada – a princípio, será produzida apenas neste ano, apesar de ostentar um nome bastante reconhecido. Por fora, o modelo troca as duas faixas decorativas do capô por uma central, bem grossa, e duas mais discretas nas saias laterais. As faixas são sempre em preto com um friso que, dependendo da cor do modelo, pode ser laranja ou branca, para fazer um contraste maior.

A grade perde os dois frisos diagonais e ganha duas molduras redondas, que fazem referência aos tradicionais faróis de milha embutidos do modelo original. As entradas de ar nas extremidades do para-choque ficaram maiores e o spoiler inferior ficou bem mais destacado. Na traseira, sai o chamativo aerofólio e entra um discreto spoiler.

Sob o capô, o Mach 1 traz o mesmo motor V8 aspirado com 5.0 litros que equipa a versão Black Shadow, mas foi retrabalhado para melhorar o rendimento. Ele ganhou 17 cv e tem agora 483 cv de potência, mas manteve o mesmo torque de 56,7 kgfm.

O câmbio automático de 10 marchas ganhou um novo conversor de torque, o que também ajudou nesse resultado.

O amplo espectro de versões do Mustang tem sido fundamental para que o esportivo seja bem vendido em diversos mercados. Em 2020, foram mais de 80 mil unidades, sendo 60 mil delas apenas nos Estados Unidos.

No Brasil, o modelo vem perdendo embalo: emplacou 988 unidades em 2018, 384 exemplares em 2019 e 350 no ano passado, metade do líder do segmento, o Porsche 911. Desnecessário dizer que o Mach 1 pode reacender o interesse pelo modelo.

Publicidade