04 de junho de 2020 Atualizado 15:40

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Fique em casa

Dodge Challenger SRT Hellcat Redeye Widebody

Veículo abusa da tecnologia e vai da inércia aos 100 km/h em 3,4 segundos, impulsionado por um motor de impressionantes 797 cv

Por Auto Press

04 abr 2020 às 09:34

O Dodge Challenger é um modelo tradicional e que recebeu muitas atualizações e edições especiais ao longo dos anos, para mantê-lo sempre como um objeto de desejo. Caso da versão Hellcat Redeye, que é construído sobre a variante Widebody, com a qual compartilha muitos elementos de design e equipamentos.

Para marcar a diferença, a logomarca Hellcat com os olhos vermelhos aparece nas laterais, nas rodas, no spoiler traseiro, na grade e na imagem de abertura da tela no centro painel de instrumentos. Outro detalhe é no capô, mais ostensivo com duas entradas de ar.

O visual externo confirma a verve esportiva do modelo. Já o interior traz um alto nível de acabamento, com assentos de couro com Alcântara e alavanca de câmbio como o volante SRT revestido em couro.

Em geral, os materiais são de boa qualidade, com revestimentos plásticos opacos e agradáveis ao toque. Completam o ambiente um sistema de climatização de duas zonas, paddles shifts para trocas de marcha, sistema de áudio Premium com 18 alto-falantes, uma tela de 7 polegadas configurável no painel de instrumentos, botão ignição frontal e câmera reversa.

O sistema de informação e lazer Uconnect é fácil de usar e muito amigável, mas já mostra o peso dos anos – a FCA acaba de lançar uma nova geração.

Foto: Divulgação
Dodge Challenger SRT Hellcat Redeye Widebody

Obviamente, o que este Redeye traz de mais notável é a mecânica herdada da variante Demon: um motor Hemi V8 6.2 litros supercharged. O dispositivo tipo Roots de 2,7 litros aumenta a pressão na admissão para 1 bar e eleva a potência para impressionantes 797 cv a 6.500 rpm, com um torque de 97,7 kgfm.

Para ajudar a manter o conjunto dentro dos padrões de temperatura, a função Power Chiller – resfriador de potência, em inglês ‑ usa o sistema de ar-condicionado para melhorar a refrigeração. Como todo Hellcat, dois faróis internos, dos quatro que compõem o conjunto ótico trazem a parte central vazada para aumentar o fluxo de ar do motor.

Toda esta energia passa pela caixa automática de oito velocidades e é transmitida para o chão pelo sistema de tração traseira. O zero a 100 km/h em realizado em 3,4 segundos, com a ajuda do Launch Control, que evita o “burnout” – queima de pneu. A velocidade máxima é de 326 km/h.

Foto: Divulgação
Dodge Challenger SRT Hellcat Redeye Widebody

Para segurar tanta potência, foi instalado um sistema de freio Brembo com discos de 390 mm nas pinças dianteiras de 6 pistões na frente. Atrás, os discos têm 350 mm.

Primeiras impressões

É preciso esclarecer, antes de mais nada, que o Dodge Challenger SRT Hellcat Redeye Widebody é um animal feroz e, como tal, exige cuidado ao ser domado. Tendo isso em mente, pode-se dizer que o modelo oferece uma aceleração excessiva e viciante. A resposta ao se pressionar o pedal do acelerador é imediata, ao mesmo tempo em que emite um maravilhoso som estrondoso pelo escapamento.

Toda aceleração tem como efeito colateral um sorriso na cara de quem está ao volante. Nas curvas, o Redeye sofre com uma transferência de peso flagrante entre os quatro eixos, por conta da massa de mais de 2 toneladas e dimensões acima de 5 metros. A suspensão, com duplo A sobrepostos na frente e multilink atrás, tem de dar conta de uma enorme potência que é despejada no eixo traseiro. É preciso dosar muito bem a pressão do pé direito.

A direção, por outro lado, do Redeye é direta e comunicativa. Enquanto isso, os freios fazem seu trabalho muito bem, parando a fera ao comando do pedal. Apesar do tamanho avantajado dos discos e da boa ventilação, depois de um trecho com uso mais intenso, é preciso ter o bom senso de deixar os freios descansarem um pouco, para não se arriscar a uma situação de fadiga. Afinal, são quase 800 cv empurrando esse bólido.

JORGE BLANCARTE_AUTOCOSMOS.COM/MÉXICO (EXCLUSIVO NO BRASIL PARA AUTO PRESS).