27 de setembro de 2020 Atualizado 22:44

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

SUV COMPACTO

Chevrolet aposta na versão Premier para reforçar a imagem de tecnologia do Tracker

SUV compacto da montadora vem liderando o mercado

Por Eduardo Rocha / Auto Press

08 ago 2020 às 09:50

Até pouco tempo, a Chevrolet não dava muita bola para SUVs compactos. E tinha até uma postura negacionista em relação à importância desse segmento. Primeiro, achando que era uma moda passageira e depois apostando que o mercado já estava chegando no ponto de saturação.

Agora, quando finalmente abraçou a causa, entrou na disputa com bastante força.

A nova geração do Tracker adotou com veemência a nova Family Face da Chevrolet, com linhas horizontalizadas – Foto: Divulgação

Passou a produzir o Tracker em São Caetano do Sul e montou uma gama que cobre o espectro do segmento sempre apoiado em um bom custo/benefício. Não por acaso, vem acelerando nas vendas nos dois primeiros meses de mercado, passando das 4 mil unidades em junho e das 6 mil em julho.

Com metade dessas vendas no varejo, o Tracker liderou a modalidade logo no segundo mês de mercado. Na gama do Tracker, a versão de topo Premier é a que reúne as características que explicam esse bom desempenho do modelo.

O mais surpreendente é que o Tracker está entre os modelos mais caros do segmento. O valor de R$ 119.490 o coloca acima dos rivais diretos. O caso é que o verdadeiro ponto de atração do modelo está no fato de ser extremamente completo, a ponto de ter não ter qualquer opcional além da pintura.

Até o teto solar elétrico, opcional que encarece bastante os concorrentes, é de série no Tracker. O modelo traz todos os itens mais corriqueiros, além dos obrigatórios, como controle de estabilidade e tração, controle de partida em rampa, airbags frontais, travas, espelhos, direção e vidros elétricos, pontos de ancoragem para cadeiras infantis.

A versão Premier é sempre animada pelo motor 1.2 Turbo, que gera 132/133 cv de potência e 19,4/21,4 kgfm de torque, com gasolina/etanol, gerenciado por uma transmissão automática de seis marchas.

A máxima é de 185 km/h, enquanto. Como o modelo pesa 1.271 kg, tem uma relação peso/potência, de 9,56 kg/cv, o que gera boa capacidade de aceleração. O zero a 100 km/h é cumprido em 9,4 segundos, e a máxima fica em 185 km/h.

Publicidade