24 de junho de 2021 Atualizado 18:02

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

MEIO AMBIENTE

Gastronomia sustentável ganha mais adeptos e incentiva boa alimentação com responsabilidade

Movimento que convida as pessoas a modificarem a conduta dos negócios e a repensar a forma de produzir e descartar os alimentos

Por Redação

05 jun 2021 às 10:45 • Última atualização 05 jun 2021 às 10:50

Em um momento em que os cuidados com a saúde são fundamentais a boa alimentação e a gastronomia sustentável passam por mudanças, oferecendo diferenciais e experiências que vão além do paladar.

A chamada gastronomia sustentável é um movimento que convida as pessoas a modificarem a conduta dos seus negócios e também repensar a forma de produzir e descartar os alimentos.

Dentro deste princípio inclui uma prática sustentável que vai desde a gestão operacional de restaurantes e marcas, a logística para compra dos alimentos – comprar de produtores locais é sempre a melhor opção, utilizar no cardápio produtos da estação, evitar o desperdício e utilizar ao máximo cada alimento inclusive na composição dos cardápios.

Gastronomia sustentável ganha mais adeptos e incentiva boa alimentação com responsabilidade – Foto: Rachel Claire / Pexels

Para o diretor acadêmico e responsável pelos cursos de Gastronomia do Centro Europeu, Rogério Gobbi, os temas relacionados ao aproveitamento integral dos alimentos, incentivo de produtores locais e sustentabilidade há muito tempo deixaram de ser apenas um discurso politicamente correto.

“Quem trabalha em uma cozinha conceito, seja bistrô ou renomada, até por virtude de cortes e apresentação de um formato, muitas vezes ocorrem perdas de alimentos e o descarte impacta no preço e na própria sustentabilidade”, conta Rogério.

“O profissional da cozinha e da gastronomia é também responsável pelos recursos que alimentam a população do Planeta e precisa ter consciência sobre a sua participação neste importante processo”, reforça Gobbi.

Mercado – De acordo com o relatório “Tendências em alimentação saudável”, elaborado pela empresa inglesa de pesquisa Mintel em 2019, os consumidores estão mais preocupados com saúde e sustentabilidade na hora de comer: 52% dos entrevistados têm dado preferência a alimentos e bebidas ricos em proteínas, fibras e com menos açúcar. Para a indústria, esse novo comportamento traz oportunidades de criar produtos, desenvolver diferentes nichos de mercado e aumentar o faturamento, aponta o estudo.

Além de dar preferência a alimentos naturais e nutritivos, os consumidores estão desenvolvendo um olhar abrangente, preocupando-se com o impacto dos seus hábitos alimentares no meio ambiente.

Neste Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, conversamos com a nutricionista, pesquisadora e professora do Centro Europeu, Aline Quissak. Ela atua na área de alimentação e defende o uso dos alimentos com sustentabilidade.

1. Evite o desperdício

Pensar no cardápio da semana ajuda a economizar e evita desperdício. Com base neste planejamento, faça a lista e escolha alimentos – principalmente os perecíveis – de uma forma mais consciente.

2. Priorize frutas, verduras e legumes da estação

Ao escolher alimentos da estação você estará contribuindo com o consumo e alimentos locais e sazonais.

3. Zere o conteúdo de sua geladeira

Antes de ir às compras tenha como meta sempre utilizar tudo o que tem na sua geladeira. Esta é uma forma eficaz de combater o desperdício dentro de casa.

4. Cozinhe a quantidade certa

Esta é uma dica clássica, mas é sempre bom reforçar. Tente cozinhar a quantidade de comida adequada ao número de pessoas que irão comer.

5. Use o alimento integralmente

Ser criativo na cozinha também faz parte do processo de produção e de sustentabilidade. Talos, cascas e sementes podem ser usadas em receitas e, além de serem nutritivos, possibilitam a criação de pratos muito saborosos.

Fonte: Centro Europeu

Publicidade