11 de setembro de 2021 Atualizado 23:21

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Decoração e Arquitetura

Dicas para montar seu espaço com plantas naturais

Tanto para ambientes externos como internos, o ideal é escolher espécies duradouras, que demandem menos manutenção

Por Isabella Holouka

28 Maio 2021 às 07:37 • Última atualização 16 jul 2021 às 12:01

O único pré-requisito para a inclusão de plantas na decoração de interiores é gostar dos vegetais, já que existem diversas possibilidades de incluir o verde nos espaços, até mesmo com a função de demarcar ambientes. Confira a seguir algumas dicas para montar seu espaço com o uso de plantas.

Dicas para montar seu espaço com plantas naturais – Foto: Adobe Stock

Sol

No lugar escolhido, note qual é a luminosidade e incidência solar, se houver, e os horários em que ocorre. Há espécies que toleram sol o dia inteiro e odeiam a sombra, outras que toleram os raios mais fracos do sol, no comecinho da manhã ou final de tarde, e aquelas que são de sombra mesmo, não toleram nem um pouco de sol. Isso vai te ajudar a escolher as espécies mais adequadas.

Rega

Observe se o local escolhido é de fácil acesso para regar, se tem como escoar a água, se é necessário fazer uma proteção no piso. Se uma estante não puder ser molhada, por exemplo, o ideal é que seja fácil levar as plantas ao local de rega. Borrifadores também podem ser usados, especialmente nos dias mais quentes, para refrescar as folhas.

Espaço

Pense no espaço que tem disponível para atender à planta e o vaso dela, considerando o crescimento com o passar do tempo. Mesmo pequenas mudas ou sementes têm capacidade para se tornarem árvores com metros de altura, por isso o vaso e o espaço em que ele ficará devem ser adequados ao desenvolvimento da planta.

Cuidado com espécies diferentes

Há algumas dicas para dar cuidados diferentes a plantas diferentes ao longo do tempo. A primeira é criar uma ficha de cada planta, incluindo informações simples e uma breve pesquisa sobre ela. Liste o nome da espécie, data de adoção da planta, tipo de luminosidade que ela gosta, quanto de água ela vai precisar, o tipo de solo preferido. Então é só acompanhar a ficha e adicionar informações importantes.

Há algumas dicas para dar cuidados diferentes a plantas diferentes ao longo do tempo – Foto: Adobe Stock

Outra dica é agrupar plantas que têm necessidades semelhantes, deixando distantes vasos de suculentas e um antúrio, por exemplo. Como as suculentas exigem pouca água, esse cuidado evita que elas sejam aguadas na mesma quantidade que o antúrio, que gosta de sombra, terra fresquinha e úmida.

Contudo, de uma maneira geral, o conselho é estar sempre atento às necessidades e novidades da planta, o que possibilita a manutenção da saúde dela por mais tempo. Para isso, é possível utilizar receitas caseiras e naturais. Sites especializados ou os próprios fornecedores podem ser fontes de informação e orientação, para evitar a compra de uma planta apenas pelo seu atrativo estético. O ideal é fazer isso de forma consciente, para garantir as condições adequadas e a beleza de suas plantas.

Ornamental, jardim vertical exige cuidados

Além de belos, os jardins verticais ajudam no isolamento térmico e acústico e melhoram a qualidade do ar. Hoje existem diversas formas de compor uma parede verde – seja uma prateleira com vasos, seja com treliças para fixar as plantas ou vasos, ou até quadros. Os materiais também são diversos, como aço, ferro, concreto, cerâmica e madeira.

Nesta proposta da Korman Arquitetos, o jardim vertical ocupa uma parede da área gourmet na sacada – Foto: Divulgação

O importante é considerar a carga que a parede escolhida suporta. Isso porque a estrutura pode ser leve, mas soma-se a ela todo o peso das espécies escolhidas, terra e água. O jardim vertical também deve ficar levemente afastado da parede, para evitar umidade e infiltração.

Considerar a existência de um ponto hidráulico também é importante, mas atualmente existem estruturas com mecanismos de bombeamento e irrigação, que podem ser aplicadas em qualquer ambiente.

A irrigação pode ser feita através de um sistema automático ou manual. Mas em paredes verdes maiores o sistema automático é o mais indicado, pois garante praticidade no cotidiano. Nesse caso, o sistema conta com uma bomba pressurizadora, tornando todo o processo automatizado. Para garantir a vitalidade das espécies, deixar sempre a terra ou substrato úmido, mas não em excesso.

Considerar a localização do jardim vertical também é essencial para garantir que ele se mantenha belo e vistoso, sem necessidade de muita manutenção. O ideal é escolher uma parede que receba iluminação natural, mas que não tenha uma exposição exagerada à luz solar.

No geral, é a luminosidade do ambiente que vai determinar, também, as melhores espécies para compor o jardim vertical. Para ambientes internos e com menor incidência solar, opte por plantas de sombra. Ambientes externos funcionam melhor com plantas mais resistentes. Nos dois casos, o ideal é escolher espécies duradouras, que demandem menos manutenção.

Fontes: Maria Fernanda Padovese, docente no Senac Americana, e Korman Arquitetos, em São Paulo.

Publicidade