20 de janeiro de 2022 Atualizado 19:19

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Bem-Estar

Vale a pena dividir apartamento alugado com um amigo?

Começo de ano todo mundo quer mudar de vida e algumas pessoas resolvem ser a hora de sair da casa dos pais ou morar com um amigo

Por Mariana Yole Pereira de Souza – Mapress

12 jan 2022 às 21:29

Uma das vantagens é que você poderá conhecer novas pessoas do ciclo do seu colega de apartamento - Foto: Divulgação – Fix

Afinal, morar com um amigo vale a pena? Essa é uma pergunta bastante comum geralmente em dois momentos: ao sair da casa dos pais ou simplesmente para reduzir as despesas de se morar sozinho e dividir com alguém. Há também quem more em um lugar grande e está considerando alugar um dos quartos para aliviar os custos. Contudo, independente do momento ou da pessoa, é importante estar ciente que haverá vantagens e desvantagens em dividir o aluguel.

Uma dica importante é conversar com pessoas que dividem uma casa ou apartamento com um, ou mais amigos para entender os prós e os contras de quem já possui essa experiência. Isso servirá para que você considere alguns pontos que pode não estar observando, talvez devido à empolgação do momento. Válido ressaltar que, ainda assim, toda experiência é única e não a sua poderá ser bem diferente. Vai muito de pessoa para pessoa.

Mas, de certo, tanto a conversa com quem já tem a experiência em morar com amigos quanto os pontos que a Fix, plataforma de serviços de mercado imobiliário listará abaixo, vão te auxiliar a tomar sua decisão e entender se esse estilo de moradia é do seu perfil.

As vantagens de morar com amigos

Companhia quando quiser
Essa é uma das principais vantagens para a maioria das pessoas que buscam dividir uma casa ou apartamento. Além de poder contar com a companhia da pessoa, você também poderá conhecer novas pessoas do ciclo do seu colega de apartamento. Se tiverem amigos em comum, melhor ainda! Os encontros já poderão ter um destino em comum. Para dias onde nos sentimos mais sozinhos, ter uma companhia, alguém para conversar ou mesmo conhecer pessoas pode fazer toda diferença.

Por mais abstrato que seja, uma coisa que poucos ressaltam é sobre os aprendizados da convivência. Conviver com alguém diariamente pode ser um aprendizado único na vida. Trata-se de um momento onde aprendemos na prática sobre a importância de dividir, de respeitar os limites do outro, de conviver com alguém diferente de você e de ouvir e ser ouvido.

Além do quesito companhia, dividir aluguel com um amigo pode ser vantajoso para resolver pequenas questões do dia a dia em casa, tal como receber uma encomenda ou visita técnica quando você estiver ausente, recolher uma roupa no varal que você esqueceu, alguém para olhar os pets caso você viaje, entre outros.

Redução de custos
Sejamos práticos aqui: outra grande vantagem em dividir o aluguel com amigos é a redução das despesas. Somente por dividir o valor do aluguel e das taxas e demais mensalidades, tais como condomínio, conta de luz, internet, água, entre outras contas que são de responsabilidade do inquilino, já alivia bastante os gastos do mês. Essa é uma motivação bem comum para pessoas que desejam sair da casa dos pais, mas estão com o orçamento apertado.

Há também quem já mora sozinho, mas por algum motivo, muitas vezes financeiro ou pessoal, decidiu dividir o apartamento com um amigo. Além de contar com uma companhia, dependendo do caso, poderá contar com alguém para dividir as contas ou até mesmo poupar mais, seja para investir em lazer, educação e muito mais.

As desvantagens de morar com amigos

Falta de privacidade
A falta de privacidade é uma das principais questões para se considerar ao buscar dividir o aluguel com um amigo. Há quem se adapte, há quem não abra mão de sua privacidade. Algo a se verificar é se a casa ou apartamento que vão dividir terá um quarto para cada um. Isso poderá facilitar bastante a convivência, permitindo que cada um tenha seu mínimo de privacidade.

Além do seu colega de quarto, também é preciso considerar as visitas. Às vezes, seu amigo vai querer fazer algo em casa com amigos ou familiares e você não estará em um dia propício a socializar ou apenas gostaria de ficar sozinho.

Desorganização
O tema organização (ou desorganização) é muito importante para alguns. Às vezes, algum dos moradores pode ter mania de organização e faz questão de manter tudo em ordem. O colega de apartamento, por sua vez, pode não se importar muito, deixando a organização de lado. Na convivência diária, essa é uma diferença que pode gerar um forte incômodo.

Por isso, é importante conversar com quem você for dividir para já estabelecer ‘regras’ da casa, quais as responsabilidades de cada um e quais serão as divisões das tarefas para que todos possam manter o lar organizado.

Uma vez analisado os pontos acima, se entende que poderá ser interessante e de seu perfil morar com um amigo para dividir as despesas, confira abaixo algumas dicas gerais que vão te auxiliar a ter a melhor experiência possível:

Defina regras: para o bom convívio, estabelecer regras de início poderá evitar muitas dores de cabeça. Visitas, horário para barulho, realização de eventos, etc.

Divida as tarefas: se divida com seu colega para realizar as atividades domésticas, tais como limpar a casa, tirar o lixo, lavar a louça, fazer comida e etc.

Estabeleça divisões de orçamento: de início, é importante definir quem paga qual conta, quais serão divididas e quais despesas serão individuais. Aliás, quem vai cuidar dos pagamentos?

Manutenção do imóvel: como vão cuidar das reformas e manutenções? Quem fará o contato com o proprietário ou imobiliária para resolver possíveis problemas?

Todos nós possuímos peculiaridades que, às vezes, só são descobertas no convívio diário. Por isso, ao escolher um amigo para morar junto, é importante conhecê-lo bem para entender se no dia a dia vocês vão se entender. Ninguém está isento de conflitos, é claro, e eles também nos servem de crescimento, mas quando convivemos com alguém que conhecemos, já temos nossa expectativa equilibrada, o diálogo e a convivência tendem a ficar mais fáceis.

Publicidade