05 de agosto de 2021 Atualizado 07:32

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Bem-Estar

Por que meu botox não dura?

Especialista em Medicina Estética Avançada conta porque o procedimento está sendo tão banalizado e fala dos seus reais benefícios

Por Redação

13 Maio 2021 às 21:01

Hoje, devido a grande concorrência das clínicas que trabalham com estética, e são muitas, devido ao número de profissionais que foram habilitados para tal, desde fisioterapeutas, biomédicos à dentistas, os preços também entraram em concorrência acirrada, e com isso, a banalização de um procedimento que quando aplicado com a técnica correta, diluído corretamente e aplicado na dose certa para cada paciente, tem efeitos maravilhosos tanto na estética, quanto para a saúde, diz Luciana Toral, médica especialista em Medicina Estética Avançada.

As queixas são diversas: tempo de duração inferior a 4 a 6 meses com retorno progressivo da musculatura, que é o mínimo que o botox deve durar. Esta é a maior reclamação de todas e talvez a que mais tenha levado o seu uso à toda esta banalização.

Luciana explica que, além da diluição errada para “fazer render a toxina botulínica,” e assim conseguirem entrar na concorrência de preços do mercado, outro fator que também é a causa da pouca duração do botox, é a marca e a qualidade da toxina que o profissional utiliza, que precisa ser de excelente qualidade.

Por último e talvez o menos comentado, é a técnica que este profissional vai utilizar: “Se o profissional fecha um pacote e aplica aquela “receita de bolo” de x unidades em um local que claramente precisa de 2x ou 3x unidades, obviamente os resultados não serão os esperados. Principalmente se os pontos de aplicação não forem distribuídos corretamente, pois cada paciente é único e tem uma necessidade especial. Se estes detalhes não forem vistos, o botox vai durar muito menos tempo.  E é por isso que muitas vezes o seu efeito sai com apenas 2, 3 meses depois de realizado o procedimento, explica Luciana.

Como tudo hoje é efêmero, a harmonização facial que foi febre em 2018/ 2019 com suas técnicas cheias de seringas e muitos exageros, começa pouco a pouco a cair em desuso. As pessoas começam a optar por uma aparência mais jovial sim, porém, mais natural, leve.

Luciana Toral, Luciana Toral, médica especialista em Medicina Estética Avançada, diz que para obter este efeito natural, que é o mais solicitado hoje pelas suas clientes em sua clínica, é necessário que o profissional seja habilidoso e saiba de fato aplicar as técnicas individuais para cada paciente.

“Muitas pacientes, principalmente as de meia idade, ainda resistem ao botox com medo de ficarem com a sobrancelha muito levantada, exagerada, com a pele muito esticada e com receio do sorriso perder a naturalidade e não é assim”, explica Luciana. “Hoje, optamos cada vez mais pelo natural. Esse é o luxo da estética avançada atual!”, afirma.

E para finalizar, será que o botox só serve para beleza? Definitivamente, não, diz a médica. “Além de prevenir o aparecimento de novas rugas, levantar o olhar, prevenir o caimento das pálpebras, tirar a aparência de cansaço do rosto, a toxina botulínica apresenta diversos benefícios para a saúde. Entre eles:  age muito bem nas dores musculares crônicas, combate o bruxismo, é utilizado para combater as enxaquecas, evitar o aumento de cicatrizes, curar a transpiração excessiva.

No mais, deixando um pouquinho agora o botox de lado, a dica máxima de beleza hoje é investir nos cuidados com a pele. Uma boa rotina de skincare, uma boa hidratação e colágeno em dia trarão uma pele viçosa e bem nutrida, sem precisar passar por transformações exageradas, que, como já dito, dia a dia, cai mais e mais em desuso.

Os procedimentos para manter-se bela e obter o melhor de você mesma (o) em cada idade, são válidos e a medicina estética trabalha incansavelmente para isso, pois a autoestima é fundamental para a autoconfiança e, portanto, use e abuse dos procedimentos, mas avalie bem o profissional, a qualidade do material e as técnicas utilizadas, reitera Luciana.

Publicidade