21 de janeiro de 2021 Atualizado 09:22

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Saúde

Para evitar as crises de asma no trabalho

Detalhes da rotina e do ambiente, como ar-condicionado, limpeza e estresse, podem desencadear as crises

Por Redação

18 nov 2020 às 18:08

Além das temperaturas e do ar mais seco, a rotina de trabalho pode deixar os cuidados com a saúde em segundo plano. A agenda lotada, o estresse e até o ar-condicionado do escritório podem tornar o ambiente de trabalho um lugar desafiador para as pessoas com doenças respiratórias crônicas. Uma delas é a asma, uma inflamação de causa alérgica nos brônquios que leva à falta de ar e chiado no peito.

É uma das doenças respiratórias mais comuns no mundo: são cerca de 334 milhões de pessoas com asma. Só no Brasil, mais de 10% da população possui a doença. Elas devem ter cuidados redobrados com a saúde, para que a rotina não seja afetada. Confira 5 cuidados que podem te ajudar a evitar as crises de asma no trabalho!

O fundamental é realizar o acompanhamento com o pneumologista e seguir o tratamento diariamente para poder manter sua rotina normalmente – Foto: Divulgação

Chega de estresse
No caso dos pacientes com asma, o estresse intensifica os sintomas durante as crises da doença, que se tornam mais graves e recorrentes caso o paciente não faça o acompanhamento médico e o tratamento adequado. A pressão das reuniões de trabalho e a grande quantidade de tarefas diárias são alguns dos motivos geradores de estresse.

Por ser uma alteração emocional, o estresse altera os hormônios e pode provocar a redução da passagem de ar nas vias respiratórias, porque o músculo dos brônquios se contrai.

Com isso, a pessoa tem mais dificuldade para respirar. O diretor da Comissão de Infecções Respiratórias da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, Mauro Gomes, explica que “momentos de pressão podem agravar os problemas causados pela asma, como fadiga, diminuição do rendimento do profissional e até ausência no trabalho”.

Para evitar os problemas, é recomendada a prática de meditação e atividades físicas nos momentos de folga, aliviando a tensão.

Refeições saudáveis
O especialista alerta que não há uma dieta totalmente comprovada para eliminar as crises de asma. Contudo, estudos indicam que a obesidade nesses pacientes pode dificultar o controle dos sintomas da doença respiratória.

Para esses pacientes, uma dieta com menos calorias melhora a função pulmonar e a qualidade de vida. Em todos os casos, é recomendado fazer acompanhamento com o pneumologista e nutricionista.

Tipo de trabalho
A chamada asma ocupacional é uma variação da forma em que a doença se desenvolve no organismo. Embora a causa da asma seja genética, existem alguns fatores de risco que podem fazer com que a pessoa apresente crises respiratórias, sem o tratamento da condição.

Quando o elemento que provoca esses episódios de piora súbita é parte fundamental para o trabalho do asmático, a doença é chamada de ocupacional. Tintas e poeira de madeira, por exemplo, podem apresentar risco para a saúde respiratória de pintores e marceneiros.

Trabalhadores da indústria da borracha, padeiros, pessoas que mexem com inseticidas e outros produtos químicos também podem sofrer com esse problema. Para esses casos, o tratamento é uma forma de evitar as crises e manter o rendimento no trabalho.

Limpeza do ambiente
A asma é uma doença inflamatória e crônica, que acompanha os pacientes ao longo de toda a vida. Ela é transmitida geneticamente, dos pais para os filhos. Contudo, muitas pessoas acabam manifestando a doença após vários anos de vida.

Os sintomas, chiado e tosse, ficam mais intensos durante as crises, causadas por alguns itens que sensibilizam as vias aéreas. Na lista de elementos que devem ser evitados pelos pacientes, existem os ácaros, poeira, pelos de animais domésticos, fumaça de cigarro e poluição. Por isso, o ambiente de trabalho pode ser uma armadilha.

Salas com carpetes e muitos tapetes, estantes extensas e mesas sem limpeza regular são propícias para acúmulo de poeira e ácaro.

“Para evitar o contato com esses elementos, é importante manter a limpeza do escritório e estar atento aos pequenos detalhes do ambiente. Além disso, o tratamento regular, com o uso de medicamentos para o controle da doença e prevenção das crises, é fundamental”, comenta Mauro Gomes.

De acordo com a Iniciativa Global para a Asma (GINA), se o paciente tiver despertares noturnos por conta da asma, precisar usar o medicamento de resgate mais de duas vezes por semana ou tiver qualquer limitação de atividade, é sinal de que a doença não está controlada.

Ar-condicionado
No ambiente de trabalho, é comum ter o ar-condicionado ligado durante todo o dia. No verão, ele refresca o local; enquanto no inverno é usado para deixar o ambiente mais aconchegante. Essa diferença de temperatura de dentro e fora do escritório pode ser prejudicial para os pacientes com asma sem tratamento porque pode desencadear crises pela doença.

Além disso, o aparelho de ar-condicionado costuma acumular sujeira e poeira, liberando esses elementos nas saídas de ar. O especialista também aponta que o ar do ambiente costuma ficar mais seco, o que pode irritar as vias aéreas. Por isso, a dica é regular o uso do ar-condicionado e, se possível, andar sempre com fluídos para umedecer as narinas.

Publicidade