26 de novembro de 2020 Atualizado 23:26

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Cuidado

Moderação é palavra-chave em relação ao consumo de sódio

Não se engane acreditando que apenas os alimentos com sabor salgado contêm sódio em excesso

Por Redação

18 out 2020 às 09:19 • Última atualização 18 out 2020 às 09:20

Todo mundo sabe (ou já ouviu dizer) que o consumo de sal em excesso causa retenção de líquidos, hipertensão arterial sistêmica, doenças cardíacas e renais. No entanto, muitos alimentos que consumimos normalmente, especialmente industrializados, contêm sódio em sua composição.

Assim, juntamente com outros preparos que naturalmente utilizam o sal de cozinha, esses produtos acabam fazendo com que o sódio seja ingerido em quantidades superiores às recomendadas, o que pode trazer vários danos à saúde.

Alimentos com grande quantidade de sódio prejudicam a saúde e podem ser considerados grandes vilões – Foto: Adobe Stock

“Há alguns aditivos alimentares que contribuem para aumentar o sódio nos produtos. O ideal é se basear na quantidade informada na tabela nutricional”, explica Fernanda Taveira, especialista do PROTESTE.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o ideal é consumir até 2.000 mg de sódio por dia, para reduzir o risco de pressão alta e, consequentemente, de doenças cardiovasculares e renais. Porém, em doses adequadas, a substância é importante para a saúde.

“O sódio regula o volume dos fluidos corporais, como o líquido que se encontra no exterior das células e o sangue, e tem uma grande atuação na função neuromuscular do organismo”, destaca Fernanda.

ALIMENTOS COM SÓDIO
Quer alguns exemplos de itens que contêm altas doses de sódio e acabam despercebidos na alimentação diária? Temperos prontos, caldos de carne ou de legumes e alimentos em conserva (como o milho em lata) são alguns dos vilões. Mas não se engane acreditando que apenas os alimentos com sabor salgado contêm sódio em excesso – você sabia que bisnaguinhas e biscoitos recheados também têm a substância?

Por causa do consumo excessivo da substância e seu envolvimento com as doenças crônicas , o Ministério da Saúde ( e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) assinaram um termo de compromisso, em 2011, para reduzir o teor nos alimentos processados, com a Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação (Abia), a Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias (Abima), a Associação Brasileira da Indústria de trigo (Abitrigo) e a Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip). Desde então, as vigilâncias sanitárias estaduais realizam o monitoramento das metas de redução de sódio em alimentos processados.

Mesmo assim, é importante que o consumidor tenha atenção aos rótulos dos produtos e evite o consumo excessivo.

Resultados do estudo da PROTESTE

Macarrão instantâneo – Foto: Divulgação

Macarrão instantâneo
Em sete embalagens analisadas pela PROTESTE, foram observados o teor médio de sódio de 1.586 mg em 100 g, variando de 1.336 a 1.839 mg. Duas marcas mostraram valores um pouco acima do limite estabelecido pelo Ministério da Saúde e Associações.

O consumo de um pacote fornece mais de 60% de sódio, de acordo com a OMS. Veja a porção do alimento, além da quantidade de sódio da tabela nutricional, na qual alguns produtos informam a metade da quantidade em um pacote.

Peito de peru – Foto: Divulgação

Presunto, peito de peru, mortadela, bacon e paio
Muitas pessoas consomem peito de peru e incluem esse alimento na dieta por ser uma opção considerada “leve”. Mas você sabia que quatro fatias de peito de peru podem conter 460 mg de sódio? Além disso, o alimento possui glutamato monossódico em sua composição, um grande causador de retenção hídrica e de enxaqueca.

Queijos – Foto: Divulgação

Queijos
Dependendo do queijo que você escolher, pode consumir mais sódio do que imagina. Cerca de uma fatia e meia de queijo sabor cheddar light (com menos calorias) contém cerca 319 mg de sódio.

O queijo prato pode conter de 175 mg a 319 mg de sódio em uma fatia e meia. Observe também que o sal é o segundo ingrediente em maior quantidade na tabela nutricional desse tipo de queijo.

Caldos e temperos prontos – Foto: Divulgação

Caldos e temperos prontos
O estudo da PROTESTE verificou, em cinco rótulos de produtos, que uma colher de chá (5 g) dos caldos em cubo ou pó fornece em média 906 mg de sódio. Foram analisados também os rótulos de sete temperos em pasta e de três amaciantes de carne. Em média, uma colher de chá (5 g) fornece 1.281 mg e 1.093 mg de sódio, respectivamente. Os produtos têm mais de 40% de sódio, conforme a OMS.

Maionese – Foto: Adobe Stock

Maionese
O estudo observou a quantidade de sódio no rótulo de dez marcas de maionese. O teor médio foi de 323 mg, variando de 270 a 380 mg em 100 g do produto. Também verificamos o sódio em duas marcas de maionese vegana.

As concentrações informadas foram 297 mg e 417 mg/100g, ou seja, um pouco maiores do que na maionese tradicional. Os valores são altos, de acordo com a indicação da OMS.

Milho – Foto: Pinterest

Milho em conserva
Foram avaliados o conteúdo de sódio em três marcas de milho em conserva. Segundo a tabela nutricional, uma xícara de chá (130 g) pode fornecer entre 200 mg e 386 mg. Além disso, é possível observar na lista de ingredientes a presença de água e sal, e não somente milho e água, como era de se esperar.

Bisnaguinhas – Foto: Divulgação

Bisnaguinhas
Nas cinco marcas de bisnaguinhas testadas, a PROTESTE verificou que o teor médio de sódio nas informações nutricionais foi de 320 mg em 100 g do produto, variando entre 262 e 344 mg. O valor é alto, uma vez que essa categoria de produtos é oferecida ao público infantil. Cinco unidades (100 g) correspondem a 16% da recomendação máxima diária de sódio (2.000 mg).

Biscoitos recheados – Foto: Divulgação

Biscoitos recheados
A PROTESTE avaliou os rótulos de seis biscoitos doces recheados diferentes. O teor médio de sódio observado foi de 212 mg em 100 g do produto, variando entre 180 e 263 mg.

Biscoitos de água e sal e cream cracker – Foto: Divulgação

Biscoitos de água, água e sal e cream cracker
Foram verificadas as informações de sódio de 12 marcas. O teor médio de sódio visto foi de 576 mg em 100 g do produto, variando de 420 até 1.100 mg.

Vale ressaltar que o segundo termo de compromisso assinado entre o Ministério da Saúde e associações prevê que essa categoria de biscoitos deveria atingir o teor máximo de 699 mg por 100 g até 2014. Na média, os produtos cumprem a meta, mas uma das marcas apresentou valores acima do limite.

Pipoca – Foto:

Pipoca de micro-ondas
Foram avaliados os rótulos de sete marcas, com a constatação de que o teor de sódio varia entre 116 e 293 mg.

Publicidade