24 de outubro de 2020 Atualizado 14:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Dia Mundial do Coração

Estudos apontam a importância da vitamina D para saúde do coração

Com ação no músculo cardíaco, nível ideal pode reduzir em até 30% o risco de evento cardiovascular

Por Da redação

26 set 2020 às 18:15 • Última atualização 26 set 2020 às 18:17

Na literatura médica não faltam estudos que comprovam o impacto do estilo de vida saudável na redução de doenças cardíacas. Praticar exercícios cinco vezes por semana, pelo menos 30 minutos por dia, e manter uma dieta equilibrada rica em minerais e vitaminas, são algumas das iniciativas que, segundo pesquisadores, auxiliam expressivamente na prevenção cardiovascular.

Outro fator relevante é manter o nível ideal de vitamina D. “Ela é um nutriente essencial escasso em alimentos que poderia ser produzido pela exposição ao sol se nossos hábitos de vida atuais, formas de trabalhar, cuidados com a pele ou outros fatores permitissem. A vitamina D desempenha uma ampla variedade de funções em nosso corpo, o que é reafirmado pela presença de receptores de vitamina D em mais de 37 tecidos humanos diferentes. Existem vários mecanismos que apoiam o papel da vitamina D na saúde cardiovascular, na inibição da inflamação, na prevenção da calcificação vascular, na regulação da homeostase da pressão e do volume sanguíneo, no controle do metabolismo da glicose, entre outros”, explica Héctor Cori, Diretor Científico da DSM Nutrição e Saúde Humana.

Diversos estudos apontam que a vitamina D tem relação com as contrações musculares, logo, agindo diretamente no músculo cardíaco, responsável pelo bombeamento de sangue para todo o organismo. Um estudo produzido pela Universidade de Bergen, na Noruega, por exemplo, destacou que manter o nível ideal de vitamina D pode reduzir em até 30% o risco de sofrer algum evento cardiovascular.

Entidades de classe recomendam que o nível ideal de vitamina D no organismo seja de 20 a 60 nanogramas por ml. Com a pandemia de Covid-19, pessoas enquadradas como grupos de risco devem estar com níveis entre 30 e 60 nanogramas por ml.

Também responsável pela saúde dos ossos e atuação nos sistemas imunológico e endócrino, sua ausência pode acarretar problemas em todas essas áreas. A suplementação é indicada por especialistas em casos de falta ou baixo índice no corpo.

Dia Mundial do Coração
No emblemático ano 2000, a Federação Mundial do Coração (World Heart Federation-WHF) instituiu o dia 29 de setembro como o “Dia Mundial do Coração”. O objetivo da data é conscientizar as pessoas sobre a saúde cardíaca, importância da prevenção e diagnóstico precoce e ressaltar a adoção de hábitos saudáveis.

Setembro Vermelho

  • As doenças cardiovasculares são a primeira causa de morte no Brasil e no mundo atualmente.
  • De acordo com a OMS, mais de 17,5 milhões de pessoas morrem por ano decorrência dos males do coração.
  • Em 2019, ocorreram mais de 260 mil mortes no Brasil por doenças do coração, entre os meses de janeiro a agosto, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) e Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).
  • Ainda de acordo com a OMS, com a pandemia do novo coronavírus, houve uma alta de 31% nas mortes por infartos e AVCs no Brasil, registrada por um estudo da Associação Nacional dos Registradores e Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) em parceria com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).
  • Nos últimos 30 anos, mais de 350 mil pacientes receberam o implante de marcapassos no Brasil e passaram a ter uma vida mais saudável.

Fonte: BIOTRONIK

Publicidade