08 de julho de 2020 Atualizado 22:08

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Saúde

Como pacientes com bronquite devem agir diante do coronavírus?

Em caso de contaminação, quem tem bronquite possui mais disponibilidade para ter complicações em decorrência do coronavírus

Por Da redação

02 jun 2020 às 09:48

Em todas as idades e condições, pessoas estão sendo afetadas pela Covid-19. Mas alguns grupos de fato são notoriamente mais atingidos pelo vírus que já matou milhares de pessoas. Um desses casos considerados mais sensíveis são aqueles que apresentam algum tipo de doença respiratória e a bronquite é um exemplo.

Em caso de contaminação, esse paciente possui mais disponibilidade para ter complicações em decorrência do coronavírus, especialmente se a doença respiratória não estiver controlada. Médicos especialistas alertam que em alguns casos essas pessoas podem evoluir para um quadro grave, podendo chegar até mesmo a óbito. Portanto, se encontram no grupo de risco da doença.

Nesse momento de epidemia é muito importante que quem tem bronquite esteja com seu quadro controlado e acompanhamento médico constante. Para ajudar nesse controle algumas recomendações podem ser valiosas e entender como os processos alérgicos ocorrem pode ajudar o paciente nos cuidados permanentes da saúde respiratória.

O médico Marcello Bossois cita alguns fatores que colaboram para o desencadeamento desses processos. A proteína de adesão é um exemplo, ela é uma substância que é produzida pelo próprio organismo do alérgico e facilita a captura de vírus no ambiente, deixando esse paciente mais vulnerável a uma contaminação.

Outro fator que pode contribuir no processo alérgico é a diminuição da proteção mucociliar, que são os pelos nasais que ajudam a filtrar impurezas do ar. Isso torna a região mais vulnerável a um processo inflamatório que por sua vez quando ocorre aumenta o fluxo sanguíneo na área e deixa o organismo mais suscetível a entrada de vírus e bactérias.

TELEMEDICINA
Em função do excepcional quadro de epidemia no País e no mundo, foi aprovada pelo Conselho Federal de Medicina o uso da telemedicina que é a consulta médica realizada via internet ou telefone.

Isso possibilita que os pacientes com bronquite e outras doenças respiratórias mantenham o contato com o seu médico, recebendo as orientações para o seu caso sem a necessidade de deslocamento, diminuindo a probabilidade de exposição ao vírus.

Enquanto uma vacina ou um tratamento não forem aprovados e disponibilizados pelos órgãos de saúde, a prevenção é a melhor forma de salvar vidas, especialmente de quem tem mais chance de desenvolver complicações em função do Covid-19.

Tratamento e prevenção
O médico Marcello Bossois destaca algumas medidas para quem sofre de bronquite. O tratamento contínuo através de medicações inalatórias e nasais são muito indicadas e junto a essas medicações também a imunoterapia pode ajudar bastante no tratamento.

A terapia é feita à base de doses de vacinas que funcionam como uma espécie de sistema educativo para o sistema respiratório do paciente, ensinando o organismo a não ter crises alérgicas e a diminuir a frequência entre uma crise e outra até que a longo prazo cessem.

Ele salienta ainda que estar imunizado contra doenças como vírus de gripes e bactérias que causam pneumonia fortalecem o sistema imunológico do paciente e contribui para a defesa do sistema respiratório.

Outro ponto importante para a melhora do quadro do paciente é o controle do ambiente. Objetos como carpete, cortinas e bichos de pelúcia, por exemplo, devem ser evitados já que podem despertar crises.

Talvez alguns procedimentos de tratamento também possam ser revistos pelo médico que acompanha essa pessoa, pois podem ser prejudiciais nesse momento de epidemia.

É o caso da nebulização que se realizada por alguém com o coronavírus, pode espalhar o vírus pelo ambiente e contaminar quem estiver próximo.

Informações que orientam o paciente com bronquite a se prevenir são essenciais nesse período crítico da pandemia e pensando nisso Marcello criou uma lista de reprodução de vídeos em seu canal no YouTube especialmente sobre o assunto.

Fonte: https://g.co/kgs/C4LPd7