06 de maio de 2021 Atualizado 07:38

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Doença crônica

Como a psoríase impacta a rotina

Embora 125 milhões de pessoas em todo mundo convivam com a doença cíclica, ainda existem muitas dúvidas em torno do assunto

Por Da redação

12 jun 2020 às 15:33

Definida por uma inflamação da pele que pode acometer os braços, tronco e também o couro cabeludo, a psoríase costuma aparecer em jovens adultos – na faixa etária de 20 a 40 anos, e como consequência, pode trazer danos na vida dos pacientes. Estes, muitas vezes, são acentuados pela falta de conhecimento.

Embora 125 milhões de pessoas em todo mundo convivam com a doença cíclica- sendo 5 milhões no Brasil, segundo Instituto de Pesquisa em Felicidade da Dinamarca, ainda existem muitas dúvidas em torno do assunto.

Embora sejam localizadas, existem variações, como a psoríase eritrodérmica, que pode acometer todo o corpo, incluindo unhas e articulações – Foto: Divulgação

Pensando nisso, a farmacêutica de uma rede de farmácia de manipulação, Janaina Souza, ressalta a importância de levar adiante mais informações sobre o problema de pele. “Antes de mais nada, é preciso entender que a psoríase não é contagiosa. Estamos falando de uma doença autoimune, muitas vezes hereditária”, aponta a profissional.

Seguindo a linha de conhecimentos gerais sobre a psoríase, Janaina descreve os principais sintomas.

“O aparecimento de lesões avermelhadas e descamativas é o que vai comunicar a existência do problema. Embora elas sejam localizadas na maioria dos casos, existem variações, como a psoríase eritrodérmica, que pode acometer todo o corpo, incluindo unhas e articulações”, aponta.

E é diante de um diagnóstico correto que é possível começar a agir e seguir com tratamentos eficazes para psoríase. Estes, são muitos: começam com o cuidado mental, descanso e se estendem aos medicamentos.

MEDIDAS PREVENTIVAS
A ansiedade e estresse podem ser fatores agravantes da doença, segundo a farmacêutica.

“A nossa mente controla o corpo. Por isso, momentos conturbados podem desencadear crises. É importante ter atividades prazerosas na rotina, isso alivia a fadiga mental e contribui de maneira positiva no controle da psoríase – e qualquer outro problema de saúde”, diz.

Muitas vezes a psoríase demanda medicações em seu tratamento. Nesses casos, a recomendação médica é indispensável. Porém, como tratamento complementar, manipulados são a pedida certa.

Fonte: https://rederosario.com.br/

Dieta para Psoríase: o que comer e o que evitar

A alimentação ajuda a complementar o tratamento da psoríase porque ajuda a diminuir a frequência com que surgem as crises, assim como a gravidade das lesões que aparecem na pele, controlando também a inflamação e a irritação típicas da psoríase.

É importante incluir na alimentação diárias alimentos ricos em ômega 3, fibras, frutas e vegetais, pois são ricos em antioxidantes e exercem efeito anti-inflamatório no organismo, permitindo diminuir a gravidade das crises. Por isso, o ideal é procurar orientação de um nutricionista para que sejam feitas adaptações na dieta de acordo com as necessidades de cada pessoa.

ALIMENTOS PERMITIDOS

Os alimentos que são permitidos e podem ser consumidos mais regularmente, incluem:

  1. Cereais Integrais
    Estes alimentos são considerados os carboidratos de baixo índice glicêmico, além de também serem fontes de fibras, vitaminas e minerais. Os alimentos de baixo índice glicêmico podem diminuir o quadro inflamatório e, consequentemente os sintomas da psoríase.
    Exemplos: pães integrais, massa integral ou à base de ovo, arroz integral ou parabolizado, milho, aveia.
  2. Peixes
    Os peixes são fontes de ácido graxos polinsaturados ômega 3 e 6 que possuem alta atividade anti-inflamatória, além de serem ricos em vitaminas do complexo B, vitamina A e minerais como o selênio. Isso ajuda a reduzir o surgimento de placas, eritema, descamação e prurido.
    Exemplos: dar preferência ao atum, a sardinha, truta ou o salmão.
  3. Sementes
    Além de serem ricas em fibras, também oferecem um bom aporte de vitaminas e minerais, como vitamina E, selênio e magnésio, por exemplo. As sementes também ajudam a evitar o processo inflamatório e diminuir sintomas da doença.
    Exemplos: sementes de girassol, sementes de abóbora, linhaça, chia entre outras
  4. Frutas
    Variar o consumo de frutas ao dia aumenta a quantidade de fibras na dieta além de garantir uma boa ingestão de vitaminas e minerais, como por exemplos a vitaminas do complexo B, vitaminas C e E, potássio, magnésio e, até mesmo flavonoides. O consumo de vitaminas ajuda a reparar as lesões provocadas na pele.
    Exemplos: laranja, limão, acerola, kiwi, banana, abacate, manga, mamão, uva, amora, framboesa.
  5. Legumes e verduras
    Oferecem um bom aporte de fibras, e são fontes de vitamina A, vitamina C e ácido fólico. Estes atuam como antioxidantes, diminuindo a inflamação e consequentemente os sintomas da psoríase
    Exemplos: cenoura, batata doce, beterraba, espinafre, couve e brócolis.
  6. Óleos e azeites
    Os óleos e os azeites são uma boa fonte de ácidos graxos polinsaturados, a gordura boa que ajuda a diminuir o processo inflamatório. Alguns deles ainda são fontes de vitamina E como exemplo os óleos vegetais.
    Exemplos: azeite de oliva extra virgem, óleo de girassol, óleo de gérmen de trigo.

Fonte: Tatiana Zanin, nutricionista
tuasaude.com

Alimentos que devem ser evitados

Os alimentos que devem ser evitados são aqueles que estimulam o aumento da inflamação, elevando o surgimento de novas crises ou, piorando os sintomas como coceira e irritação da pele. Assim deve-se evitar:
Carnes vermelhas e frituras: estes alimentos aumentam o consumo de gordura saturada e colesterol, favorecendo a inflamação e aumentando a chance de desencadear a doença.

Açúcar e farinha branca: doces, pães brancos e biscoitos. São considerados carboidratos de alto índice glicêmico e, quanto maior o índice glicêmico da dieta, maior o risco de desenvolver doenças inflamatórias, como é o caso da psoríase.

Alimentos embutidos e processados: deve-se evitar alimentos com muitos aditivos, industrializados e embutidos como por exemplo presunto, salsichas, salames entre outros.

Além disto, as bebidas alcoólicas também devem ser evitadas, pois podem aumentar a coceira e dificultar a correta absorção dos medicamentos prescritos pelo médico para o tratamento da psoríase.

Fonte: Tatiana Zanin, nutricionista
tuasaude.com

Publicidade