21 de janeiro de 2021 Atualizado 09:03

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Bem-estar

Alho, cebola, canela e cravo: ‘soldadinhos’ da saúde

Cuidar da imunidade faz toda a diferença para controlar sintomas de gripes e outras doenças sazonais do período

Por Redação

28 jul 2020 às 16:49

O período mais frio e seco do ano também é conhecido como o mais propício para a manifestação de doenças das vias respiratórias e gripes. Neste ano, ainda se vive este momento difícil da pandemia da Covid-19. Por isso, os cuidados com a saúde devem ser ainda mais intensificados, com necessidade de mais rigor na higiene e capricho na alimentação, que deve prover uma nutrição adequada, para que o organismo fique forte e apto a combater doenças.

Alho, cebola, canela e cravo possuem ações terapêuticas e auxiliam na saúde – Foto: Divulgação

Entre os alimentos que podem ser consumidos com essa função, vários estão presentes em quase todos os lares e mesas.

“Podemos destacar, por conta de seus altos valores nutricional e medicinal, o cravo e a canela, base da confecção das compotas de frutas e outros quitutes; bem como o alho e a cebola, temperos obrigatórios no arroz, feijão e carne de cada dia, assim como em diversos outros pratos”, informa Maria Cláudia S. G. Blanco, engenheira agrônoma da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, que atua na Divisão de Extensão Rural (Dextru), da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS).

Maria Cláudia comenta, ainda, que esses alimentos, além de temperar as receitas, são fonte de diversas substâncias bioativas de ação terapêutica.

Confira as propriedades dos alimentos, conforme o Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira da Anvisa:

ALHO

Nome científico: Alliumsativum L.

Nomes populares: alho-comum; alho-bravo, alho-hortense.

Indicações terapêuticas principais:

Uso interno: antimicrobiano, antifúngico, antiviral, expectorante, antioxidante, imunoestimulante, antiespasmódico e antitrombótico. Atua como coadjuvante no tratamento de bronquite crônica, asma, sintomas de gripes e resfriados. Coadjuvante no tratamento da hiperlipidemia e hipertensão arterial leve a moderada, auxiliar na prevenção da aterosclerose.

Posologia e forma de preparo:

Uso interno: maceração – 1 colher de café (0,5g) do bulbo do alho para 1 cálice (30mL) de água. Tomar duas vezes ao dia, antes das refeições.

Observação: o uso terapêutico prolongado do alho pode ter contraindicações, por isso fale com um profissional da saúde antes de se medicar. Como alimento, não tem contraindicação, mas o calor diminui seus compostos bioativos, por isso, prefira consumi-lo cru.

CEBOLA

Nome científico: Allium cepa L.

Nome popular: cebola.

Indicações terapêuticas principais:

Uso interno: antimicrobiana e anti-inflamatória. Expectorante (bronquite e estados gripais). Fonte de vitaminas A, B e principalmente C.

Posologia e forma de preparo:

Uso interno: suco- 3 a 5 colheres de sopa (9 a 15g) do bulbo picado para 1 xícara de chá (150mL) de suco de limão com mel.

Observação: a cebola, quando muito cozida e frita, perde quase a totalidade do seu valor curativo e nutritivo, pois perde a vitamina C e os demais nutrientes, restando basicamente o sabor.

CRAVO-DA-ÍNDIA

Nome científico: Syzygiumaromaticum(L.) Merr.et Perry

Nomes populares: cravo-de-odor, craveiro-da-índia, cravo-de-cabecinha.

Indicações terapêuticas principais:

Uso interno: antiespasmódico, carminativo(combate gases intestinais),antiagregante plaquetário, antioxidante, antimicrobiano.

Posologia e forma de preparo:

Uso interno: Infusão – 3 colheres de café (1,5g) para 1 xícara de chá (150mL) de água. Tomar duas a três vezes ao dia. Indica-se acrescentar mel.

Cuidados: não há relatos de contraindicações, a não ser a pessoas alérgicas.

CANELA

Nome científico: CinnamomumzeylanicumBlume

Nome popular: canela

Indicações terapêuticas principais:

Uso interno: classificada como planta “quente”, tem propriedades anti-inflamatória, tônica, adstringente e antimicrobiana, em afecções do aparelho respiratório, com possível atividade no sistema imune e carminativa (flatulência). Por suas propriedades, pode ser utilizada no controle de sintomas de gripes, resfriados, estados febris, tosse e afecções de vias respiratórias. Como antialérgica, pode ser usada em rinites, especialmente as provocadas por frio e umidade; dores no estômago; flatulência e náuseas.

Posologia e forma de preparo:

Uso interno: Decocção (canela em pau) – 1 colher de sobremesa (2g) de casca seca para 1 xícara de chá (150mL) de água. Tomar 1 vez ao dia (preferência à noite, ao deitar-se); Infusão (canela em pó) – 1 colher de café (0,5g) de canela em pó para 1 xícara de chá (150mL) de água. Esfriar e coar. Tomar uma vez ao dia (preferência à noite, ao deitar-se).

Publicidade