Vettel diz que GP da Espanha será ‘crucial’ e Leclerc admite que precisa melhorar


No GP do Azerbaijão deste domingo, o finlandês Valtteri Bottas liderou a quarta dobradinha da Mercedes em quatro corridas na Fórmula 1 na temporada de 2019. O resultado aumentou a distância da equipe alemã para a Ferrari no Mundial de Construtores. Principal piloto do time de Maranello, o alemão Sebastian Vettel disse que “será crucial mudar as coisas” na próxima etapa, na Espanha, no dia 12 de maio.

Entretanto, a escuderia italiana não tem favoritismo para a prova de Barcelona, segundo o tetracampeão mundial. “Obviamente não somos os favoritos. Mas a equipe está com bom espírito. Temos mais algumas atualizações no carro e precisamos persegui-los”, disse. A Mercedes tem 173 pontos, contra 99 dos rivais.

O alemão destacou que a Ferrari precisa de uma corrida sem incidentes para voltar a vencer. “Estamos ansiosos para um final de semana tranquilo porque nossos primeiros quatro não foram”. No treino classificatório de sábado, seu companheiro Charles Leclerc, que liderara as sessões práticas, acabou batendo e perdeu a chance de brigar pela pole. O monegasco também teve uma grande decepção no segundo GP, no Bahrein, onde tinha vitória encaminhada, mas teve problema no motor.

No Azerbaijão, Vettel sofreu com os pneus no início da prova. “A primeira parte foi muito ruim, realmente tive dificuldades para fazer com que os compostos funcionassem. Estavam muito frios e eu os danifiquei, depois ficaram quentes, mas desgastados. Nunca estavam trabalhando a nosso favor”, disse o piloto, terceiro colocado com 53 pontos. Bottas e Lewis Hamilton têm 87 e 86, respectivamente.

“Eu estava muito desconfortável e inconsistente e eu não conseguia ter confiança com o carro. Isso geralmente não é bom aqui”, comentou o alemão. “Depois disso fiquei surpreso porque previa um ‘stint’ difícil com pneus médios, mas não tive nenhum problema. Fiquei muito mais feliz e muito mais confiante e acho que tivemos algum ritmo para colocar um pouco de pressão, mas não foi suficiente”, completou.

Leclerc, que largou em oitavo com compostos médios após a batida no treino classificatório, também lamentou o resultado da corrida. O novo piloto da Ferrari criticou a demora da equipe para efetuar a sua primeira troca de pneus: “Eu teria parado antes. Senti que estava perdendo tempo quando Bottas, Hamilton e Seb passaram por mim. Mas acredito que havia alguma razão para continuar por tanto tempo”.

“Estávamos muito fortes com os pneus médios. Poderia ter sido uma corrida mais positiva mas a Ferrari não fez nada de errado. No sábado, eu cometi um erro, mas voltarei mais forte”, disse o monegasco.

O piloto também comentou seu rendimento individual no GP deste domingo. “Não acho que havia muito mais a fazer hoje, de qualquer forma. Eu não estava muito feliz com o carro, mas acho que no início eu poderia ser mais agressivo. Não tenho sido suficiente, mas vou aprender com isso”, disse.

Leclerc analisou ainda a situação da Ferrari em comparação com a Mercedes. “Em termos de desempenho na classificação estamos mais perto, mas por outro lado, na corrida eu sinto que ainda estamos longe. Quando eles estavam nas voltas finais com pneus usados, pareciam muito rápidos. Temos que analisar bem isso”. O monegasco é o quinto colocado do campeonato com 47 pontos, a quatro de Max Verstappen, da Red Bull.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora