Vergne chega em 7º em Nova York e é bicampeão da Fórmula E


Mais cauteloso do que na corrida de sábado, o francês Jean-Eric Vergne se sagrou bicampeão da Fórmula E neste domingo, na segunda prova disputada em Nova York, nos Estados Unidos. Ele cruzou a linha de chegada somente na sétima posição, mas foi o suficiente para confirmar o título, deixando o brasileiro Lucas Di Grassi na terceira posição no campeonato. O vencedor da segunda corrida da etapa norte-americana foi o holandês Robin Frijns, da equipe Virgin.

Vergne se tornou o primeiro bicampeão da categoria de carros elétricos ao adotar postura mais cuidadosa neste domingo, no circuito montado no Porto do Brooklyn. O francês defendeu o título conquistado na temporada passada sustentando a boa vantagem obtida até a etapa passada, disputada na Suíça. No sábado, foi mal e nem somou pontos.

Neste domingo, ele voltou à zona de pontuação e até aumentou a vantagem na primeira colocação geral. Ele terminou a competição com 136 pontos, sem dar chances para seus principais rivais. Di Grassi, que aparecia como maior candidato a derrubar o francês do topo, acabou ficando somente na terceira colocação geral, com 108 pontos, atrás do suíço Sebastien Buemi, com 119. Felipe Massa terminou o campeonato na 15ª posição geral, com 36 pontos.

Com este resultado, a equipe DS Techeetah, de Vergne e do alemão André Lotterer, comemorou também o título por equipes. O time somou 222 pontos, contra 203 da Audi, de Di Grassi e do alemão Daniel Abt.

A CORRIDA – Ao contrário da primeira prova, realizada no sábado, a segunda foi marcada por mais cautela e momentos de menor ousadia. A começar pela largada, em que Sims sustentou a primeira posição sem sustos. Buemi, que entrou na corrida já sem chances de brigar pelo título, arriscou e ultrapassou Frijns.

As trocas de posição começaram após cinco minutos de prova. Quando faltavam 40min para o fim, Massa ganhou seguidas colocações e alcançou o 18º posto, após largar do último lugar. Di Grassi ganhou um posto, passando para o décimo, logo à frente de Vergne, que também subiu uma posição, para 11º.

Na sequência, o safety car entrou na pista por causa de batida que deixou o carro do argentino José Maria López, da equipe Dragon, parado no meio do traçado. Com esta situação na prova, Vergne garantia o bicampeonato e Buemi terminaria em segundo lugar, à frente de Di Grassi.

A corrida foi retomada quando faltavam 34 minutos para o fim. E a disputa teve início na ponta. Faltando 31min, Frijns devolveu a ultrapassagem para Buemi e retomou a segunda posição. No pelotão intermediário, Di Grassi e Vergne ganharam uma posição cada, figurando em nono e décimo, respectivamente.

Lá na frente, Frijns superou Sims, o líder da prova, faltando 21 minutos para o fim. E não perdeu mais a posição. Di Grassi, até então discreto na corrida, emplacou duas boas ultrapassagens em sequência, deixando para trás Vandoorne e Rowland. Alcançou o sétimo posto. Vergne, sem o mesmo ímpeto, aparecia em nono.

Com o título praticamente nas mãos, o francês manteve a cautela nas voltas finais, ao contrário do que fez no sábado, quando se envolveu em batida com Massa e não somou pontos. Com tranquilidade, percebeu que o rival brasileiro não conseguia avançar e segurou a sua posição até a bandeirada final para ser coroado novamente como campeão da Fórmula E.

Enquanto Vergne encaminhava o título, Di Grassi fazia sua última tentativa para ganhar mais uma posição, na volta final. Ao tentar ultrapassar Evans, acabou saindo da corrida e tirando o rival também. Terminou, assim, em 18º e penúltimo. Massa, por sua vez, fez prova discreta e não passou do 16º posto, finalizando sua primeira temporada na competição.

A próxima temporada da Fórmula E terá início em novembro. O campeonato 2019/2020 vai começar novamente pela etapa da Arábia Saudita e logo com uma corrida dupla, nos dias 22 e 23, na cidade de Ad Diriyah. A temporada que vem terá 14 provas, uma a mais do que o campeonato encerrado neste domingo.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora