Prefeita da Cidade do México anuncia renovação com Fórmula 1


A prefeita da Cidade do México, Claudia Sheinbaum, anunciou nesta quarta-feira a renovação do contrato com a Fórmula 1. O vínculo atual entre a categoria, que não confirmou o acerto, chegaria ao fim neste ano. Desta vez, o acordo só foi possível graças a participação de investidores locais.

“A Fórmula 1 vai permanecer na Cidade do México. Esta é uma boa notícia para a cidade porque atrai turismo e ingressos”, declarou a prefeita, nas redes sociais. “Amanhã o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt, assinará o contrato.”

O contrato do México é um dos cinco do calendário atual que se encerra neste ano. E as discussões vinham gerando pouco otimismo por parte dos mexicanos porque o governo decidiu retirar o apoio financeiro para o pagamento da taxa anual que a Fórmula 1 cobra dos seus promotores. No caso da etapa mexicana, este valor superaria os US$ 30 milhões (cerca de R$ 119 milhões).

Sem revelar detalhes sobre o acordo, Claudia Sheinbaum garantiu que o custo será bancado agora por um grupo de investidores. “Isto aconteceu graças a um grupo de empresários, que tornaram a renovação possível porque desta vez a cidade não está colocando recursos públicos”, declarou a prefeita.

O GP mexicano foi disputado inicialmente em 1962 e retornou ao calendário em 2015. Desde então, as corridas disputadas no Autódromo Hermanos Rodríguez passaram a chamar a atenção na F-1 pelo sucesso de público e pela empolgação dos fãs mexicanos. Neste ano, a prova está marcada para 27 de outubro. Será a antepenúltima corrida da temporada.

A Fórmula 1 ainda não confirmou o novo acordo, que deve ser de três anos – o anterior tinha duração de cinco. Antes da renovação com o México, a categoria anunciou recentemente acerto para estender o vínculo com o GP da Inglaterra. A Itália já chegou a um acordo, ainda não oficializado pela F-1. Espanha e Alemanha ainda negociam, com chances maiores para os espanhóis. A etapa alemã deve deixar o calendário a partir do próximo ano.

Após finalizar estas negociações, a Fórmula 1 deve se debruçar sobre as etapas que têm contrato acabando em 2021, caso do Brasil. Em visita ao País em junho, o chefão da categoria, Chase Carey, afirmou que suas prioridades eram as corridas com vínculo somente até o fim deste ano. Depois disso, intensificaria as negociações com as demais etapas. No caso brasileiro, São Paulo tenta renovar o vínculo, enquanto o empresário JR Pereira tenta levar a prova para o Rio de Janeiro.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora