CEO da F-1 lamenta cancelamentos e diz não saber quando campeonato voltará


O CEO da Fórmula 1, Chase Carey, pediu desculpas aos fãs da categoria por causa do cancelamento do GP da Austrália. A corrida de abertura da temporada aconteceria no último domingo, em Melbourne, mas foi cancelada devido à pandemia do novo coronavírus.

A sequência de problemas com o novo coronavírus já desmarcou a realização das quatro primeiras provas que estavam originalmente marcadas para o início da temporada: Austrália, Bahrein, Vietnã e China. Os dirigentes da Fórmula 1 analisam novas datas para realização das corridas.

“Gostaríamos de pedir desculpas aos fãs afetados pelo cancelamento na Austrália, mas também pelo adiamento das outras corridas. Essas decisões estão sendo tomadas pela F-1, FIA e organizadores das corridas em circunstâncias que mudam rapidamente, mas acreditamos que sejam decisões corretas e necessárias. Gostaríamos também de estender nossos pensamentos aos que já foram afetados, incluindo àqueles da família da F-1”, escreveu Chase Carey, na carta aberta publicada no site da Fórmula 1.

O dirigente também reconheceu não ser possível prever quando o campeonato será iniciado, embora o GP da Holanda continue agendado para 3 de maio. “Entendemos que todos querem saber o que vem a seguir para a Fórmula 1 em 2020. Atualmente, não podemos dar respostas conclusivas em função da fluidez da situação. Contudo, queremos retornar com a temporada 2020 assim que for seguro para fazê-lo. Estamos em contato com especialistas e autoridade diariamente para entender como agir nos próximos meses”, afirmou.

A etapa australiana abriria a temporada 2020 no último domingo, em Melbourne. Porém, após um funcionário da McLaren ser diagnosticado com o novo coronavírus, a Fórmula 1 decidiu cancelar a realização da corrida em cima da hora, já quando os pilotos e equipes se planejavam para ir à pista para os primeiros treinos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora