Federer e Nadal ficam no mesmo lado da chave no Aberto da Austrália

O suíço Roger Federer e o espanhol Rafael Nadal caíram no mesmo lado da chave do Aberto da Austrália, no…


O suíço Roger Federer e o espanhol Rafael Nadal caíram no mesmo lado da chave do Aberto da Austrália, no sorteio realizado nesta quinta-feira, em Melbourne. Assim, não poderiam se enfrentar numa eventual decisão do título, somente na semifinal. O sérvio Novak Djokovic, atual número 1 do mundo, está na outra ponta da chave e só poderia cruzar com seus dois maiores rivais na final.

Atual bicampeão do primeiro Grand Slam da temporada, Federer é quem, em tese, terá uma chave mais tranquila. Ele estreará contra o usbeque Denis Istomin, atual 99º do mundo. Se confirmar o favoritismo, o suíço terá um rival do qualifying na segunda rodada. Na terceira, poderá encarar o francês Gael Monfils, seu “freguês” de longa data.

Nas oitavas de final, um possível adversário é o grego Stefanos Tsitsipas, uma das sensações da temporada passada. Federer o venceu em sets diretos na Copa Hopman, finalizda na semana passada. Nas quartas, dois potenciais rivais são o escocês Andy Murray e o croata Marin Cilic. O primeiro ainda é uma incógnita desde que se recuperou de lesão no quadril, mas já foi vice-campeão por cinco vezes em Melbourne. E Cilic foi derrotado por Federer, atual número três do mundo, na final do ano passado.

Na semifinal, o mais cotado é Rafael Nadal, que também se recuperou recentemente de lesão e gera certa desconfiança. Os dois decidiram o título de 2017, com triunfo do suíço. Se alcançar a final pela terceira vez consecutiva, Federer poderia cruzar com o sérvio Novak Djokovic, que vem embalado desde a temporada passada, com os títulos de Wimbledon e do US Open.

Nadal, por sua vez, teria uma chave pouco menos fácil. O atual vice-líder do ranking estreará contra o australiano James Duckworth. Na sequência, ele poderia ter outro tenista da casa, Matthew Ebden, ou o alemão Jan-Lennard Struff. Pela terceira rodada, o mais cotado é outro anfitrião: o jovem Alex de Minaur.

Pelas oitavas de final, despontam como candidatos a rival de Nadal o argentino Diego Schwartzman e o checo Tomas Berdych. Em seguida, pelas quartas, o espanhol poderá cruzar com o sul-africano Kevin Anderson ou o búlgaro Grigor Dimitrov. Na semifinal, o favorito é Federer, com Djokovic sendo o possível último rival de Nadal em busca do título.

Dono de seis títulos no Aberto da Austrália, recordista ao lado de Federer, o tenista da Sérvia terá a chave mais dura entre os três principais tenistas do circuito. Após uma estreia contra um rival que virá do qualifying, Djokovic vai encarar o francês Jo-Wilfried Tsonga, em baixa, mas que já foi Top 10.

Na terceira rodada, o sérvio poderá cruzar com o canadense Denis Shapovalov, uma das apostas da nova geração. Pelas oitavas de final, despontam o belga David Goffin e o jovem russo Daniil Medvedev. Em seguida, os possíveis adversários são o italiano Fabio Fognini e o japonês Kei Nishikori.

Na semifinal, o nível de confronto deve se elevar mais. As possibilidades de confronto têm o alemão Alexander Zverev, o suíço Stan Wawrinka, o local Nick Kyrgios e o canadense Milos Raonic. Na decisão do título, Djokovic poderia cruzar com Federer ou Nadal.

Nenhum brasileiro conquistou vaga direta na chave principal. Somente Thiago Monteiro segue vivo no qualifying, após vencer na segunda rodada na madrugada desta quinta. Se vencer a próxima, entrará na chave e será o único representante do País em simples no masculino.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora