Com Nadal e Djokovic, Espanha e Sérvia vencem e se enfrentam na final da ATP Cup


Liderados por seus astros Rafael Nadal e Novak Djokovic, Espanha e Sérvia confirmaram o favoritismo nas semifinais da ATP Cup ao vencerem neste sábado Austrália e Rússia, respectivamente, e se enfrentarão na final da competição, marcada para este domingo, em Sydney.

Tanto a Espanha como a Sérvia fizeram 3 a 0 em seus confrontos. Os sérvios se impuseram e venceram os russos com autoridade. Dusan Lajovic foi responsável por abrir a rodada. O número 34 do mundo se apresentou bem e venceu Karen Khachanov venceu por 7/5 e 7/6 (7/1).

Na sequência, Djokovic superou o desgaste físico do jogo das quartas de finais na sexta e protagonizou um grande duelo contra Daniil Medvedev, principal tenista da Rússia e quinto do ranking. Algoz do rival russo nos últimos dois jogos, o sérvio deu o troco e triunfou por 6/1, 5/7 e 6/4 em uma partida marcada pelo equilíbrio e disputada em alto nível.

No jogo das duplas, Nikola Cacic e Viktor Troicki levaram a melhor sobre a parceria formada por Teimuraz Gabashvili Konstantin Kravchuk por 6/4 e 7/6 (9/7) e finalizaram o confronto em 3 a 0 para os sérvios.

O primeiro jogo dos espanhóis diante dos australianos, que são os anfitriões do torneio, foi vencido por Roberto Bautista Agut diante de Nick Kyrgios por 2 sets a 0, com parciais de 6/1 e 6/4. Mais tarde, coube a Rafael Nadal definir a classificação à final.

O número 1 do mundo teve muita dificuldade para superar o jovem Alex de Minaur, 18º do ranking da ATP, de modo que perdeu o primeiro set por 6/4 e teve de suar para conquistar a virada, vencendo a segunda parcial por 7/5 e terceira, por 6/1. Nas duplas, já com o confronto definido, o Pablo Carreño Busta e Feliciano López triunfaram por 2 a 1 – parciais de 6/2, 6/7 (6/8) e 10/4 -, diante de Chris Guccione e John Peers.

Na grande decisão, haverá mais um capítulo da rivalidade entre Nadal e Djokovic, os dois melhores tenistas da atualidade. O sérvio leva ligeira vantagem sobre o espanhol no retrospecto, de modo que obteve 28 vitórias nos 54 jogos disputados entre eles. No entanto, no último encontro entre os dois, a final dos Masters 1000 de Roma em maio de 2019, o número 1 do mundo levou a melhor e ficou com o título.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora