13 de julho de 2024 Atualizado 00:27

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Mais três pontos

Santos supera expulsão, bate o Ceará fora de casa e assume a liderança da Série B

Com gol de falta marcado pelo meia Otero, Peixe fez 1 a 0 em Fortaleza, em duelo na noite desta sexta-feira

Por Agência Estado

05 de julho de 2024, às 21h15 • Última atualização em 05 de julho de 2024, às 21h29

O Santos é o novo líder da Série B do Campeonato Brasileiro. Ao menos até segunda-feira, quando o Avaí entra em campo diante do Novorizontino e pode retomar a primeira colocação. Os paulistas chegaram ao topo da tabela em noite de arbitragem confusa, pênalti desmarcado, expulsão, e gol de falta de Otero que garantiu o triunfo por 1 a 0 sobre o Ceará, no Castelão. Rodrigo Ferreira recebeu vermelho direto em lance de muita reclamação dos santistas, que ainda viram o árbitro ser salvo pelo VAR em pênalti inexistente anotado para os donos da casa no fim.

Com a segunda vitória seguida por placar mínimo na Série B, o Santos sobe para 25 pontos, abrindo dois do Avaí. Os catarinenses ainda entram em campo pela rodada, na segunda-feira, quando recebem o Novorizontino. De qualquer forma, a missão traçada de não deixar mais a zona de acesso à elite é mantida por mais uma jornada.

Otero marcou o gol da vitória do Santos nesta sexta-feira – Foto: Michael Douglas / W9 Press / Estadão Conteúdo

O Santos só volta a campo daqui 10 dias. E neste bom tempo sem atuar, além de fazer uma boa preparação para receber o Ituano, na Vila Belmiro (15 de julho), ainda terá a possibilidade de ver o atacante Guilherme se recuperar do edema muscular. João Schmidt cumpriu suspensão e retorna.

Sob a indefinição de uma possível troca do Santos pelo Corinthians, o técnico Fábio Carille contou com o importante retorno do lateral-esquerdo Escobar, destaque do Fortaleza até o ano passado e conhecedor do rival Ceará. O comandante ainda voltou com Pedrinho para a equipe titular após investir em Weslley Patati na rodada passada e não ser feliz enquanto o menino esteve em campo.

Apenas com a entrada de Pedrinho, na etapa final, que o Santos conseguiu crescer e buscar o triunfo por 1 a 0 sobre o Chapecoense na Vila Belmiro, segunda-feira. O triunfo valeu a segunda posição e a ordem era não mais deixar a zona de acesso.

Com o líder Avaí com partida agendada somente para segunda, ganhar no Castelão valia a liderança ao Santos. Ocorre que do outro lado estava um adversário de olho no G-4 – a vitória colocaria os cearenses momentaneamente em quarto -, o que era um ingrediente a mais para jogo aberto.

O Santos iniciou a partida um tanto sonolento e precisou de defesaça de Brazão para não ser vazado com somente dois minutos. O goleiro ainda mostrou arrojo ao se atirar nos pés de Erick Pulga para evitar o pior. Pituca falhou e o atacante disparou livre. Adiantou muito a bola, contudo.

Em um erro da defesa do Ceará, Giuliano perdeu duas oportunidades em sequência. Parou em Richard e depois mandou o rebote para fora. O lance serviu para diminuir o ritmo dos mandantes e, de quebra, deixar o Santos mais atrevido. Se acertando aos poucos, os paulistas não demoraram a abrir o marcador diante de uma das piores defesas da Série B. Otero bateu falta com qualidade e quebrou o jejum. Desde 2022 o meia não anotava em uma de suas especialidades.

Já sem algumas peças importantes, casos de João Paulo, Joaquim, Guilherme e João Schmidt, Carille perdeu Giuliano ainda na etapa inicial, com problema muscular. E quase ficou com um a menos antes do intervalo após falta dura de Aderlan – o lateral já tinha amarelo e a reclamação foi grande. O árbitro aliviou para o santista. Mas o treinador o substituiu no intervalo para evitar riscos desnecessários.

A segunda etapa manteve-se aberta e com as equipes sem saber o que fazer diante dos goleiros. O zagueiro Gil não ampliou e Erick Pulga parou em Brazão na batida fraca. Aylon ainda pediu um pênalti por toque de mão de Jair. O VAR mandou seguir.

O jogo era tímido até Rodrigo Ferreira exagerar em uma dividida. O lateral que entrou no intervalo para evitar a expulsão de Aderlan, exagerou na força em disputa com Saulo Mineiro e acabou levando o cartão vermelho direto, dando esperanças de reação ao Ceará, até então sem demonstrar forças pela igualdade.

A defesa bem postado do Santos cortava tudo até, aos 34 minutos, o árbitro inventar um pênalti de JP Chermont em Aylon. Depois de longos minutos de conversa e consulta ao VAR, acabou salvo e voltou atrás na marcação.

O Santos se fechou na defesa, não teve vergonha de defender o resultado apertado, e celebrou um importante resultado na caminhada para retornar à Primeira Divisão. Depois de alguns sustos, a equipe embala e já chega a quatro partidas consecutivas sem ser vazada.

Antes do apito final, no último lance, já com o Ceará no desespero, David Ricardo ainda teve de sair de ambulância por choque com o goleiro Gabriel Brazão na área e longo atendimento médico após diagnóstico de concussão.

FICHA TÉCNICA

CEARÁ 0 x 1 SANTOS

CEARÁ – Richard; Rafael Ramos (Raí Ramos), Matheus Felipe, David Ricardo (Jean Irmer) e Matheus Bahia (Paulo Victor); De Lucca (Kaique Barbosa), Lourenço e Lucas Mugni (Guilherme Castilho); Erick Pulga, Aylon (Caio Rafael) e Saulo Mineiro. Técnico: Léo Condé.

SANTOS – Gabriel Brazão; Aderlan (Rodrigo Ferreira), Gil, Jair e Escobar; Sandry (Hyan), Diego Pituca e Giuliano (Serginho); Pedrinho (Alex Nascimento), Julio Furch (Willian Bigode) e Otero (JP Chermont). Técnico: Fábio Carille.

GOLS – Otero, aos 23 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS – Jair, Pedrinho e Aderlan (Santos); Lourenço (Ceará).

ÁRBITRO – Emerson Ricardo de Almeida Andrade (BA).

RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.

LOCAL – Estádio Castelão, em Fortaleza (CE).

Publicidade