12 de julho de 2024 Atualizado 17:39

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Raphinha revela que já pensou em desistir do futebol e pede Brasil focado na Costa Rica

Por Agência Estado

15 de junho de 2024, às 15h31 • Última atualização em 15 de junho de 2024, às 16h54

Com a boca seca e os olhos cheios de lágrimas, o atacante Raphinha admitiu ter pensado em desistir do futebol em várias oportunidades ao longo da sua carreira. O filho e a seleção brasileira foram as inspirações que fizeram com que o atleta continuasse atuando em alto nível. A revelação ocorreu durante a coletiva de imprensa, na concentração da equipe comandada por Dorival Júnior, visando a Copa América.

“Eu já pensei em largar tudo, inclusive recentemente, por conta de problemas pessoais e profissionais. Pensei em largar o futebol. Minha vida está bem encaminhada e não teria necessidade de passar por problemas mentais ou de suportar agressões de mídia ou da torcida. Mas hoje em dia eu tenho uma força muito maior que é meu filho. Imaginar que ele pode me ver como uma inspiração, como uma referência, para mim já vale muito. Ver meu filho crescer e poder acompanhar o pai dele jogando em grandes clubes, fez eu esquecer de desistir. A vontade de conquistar títulos pela seleção também pesou nessa decisão”, admitiu.

Ainda sobre esse lado emocional, Raphinha elogiou o clima dentro da seleção e revelou o momento que o fez perceber a importância de representar a camisa brasileira, que já foi vestida por grandes nomes do esporte. “O clima bom na seleção vai de encontro com o que o Danilo falou no vestiário, do privilégio e da importância de vestir a camisa da seleção. Quando eu fiquei de fora, após a Copa do Mundo, eu percebi como é bom estar aqui. Não vamos ganhar todos os jogos e um resultado não vai mudar a importância e o orgulho de vestir essa camisa.”

Antes de se emocionar e precisar de um tempo para segurar as lágrimas, Raphinha fez uma análise sobre os desafios do Brasil na Copa América, o primeiro diante da Costa Rica, no dia 24, segunda-feira, às 22h (horário de Brasília), em Los Angeles, nos Estados Unidos.

“Primeiro temos que estar preocupados com a Costa Rica para depois pensar nos demais confrontos que teremos no grupo. Se a gente não fizer um jogo bom, talvez nem enfrentemos as demais seleções. Vamos dar o nosso melhor a cada jogo para depois pensar no que está por vir”, disse o atacante.

O Brasil está no Grupo D da Copa América, ao lado de Costa Rica, Paraguai e Colômbia. Os dois melhores classificados garantem vaga às quartas de final.

Publicidade