20 de setembro de 2020 Atualizado 20:44

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Basquete

Projeto completa 10 anos com histórico de revelação de atletas no basquete

Projeto comandado pelo técnico Élcio Ortiz formou promessa da Seleção Brasileira, exportou jogador para os EUA e fez atletas progredirem no esporte

Por Rodrigo Alonso

14 fev 2020 às 08:18 • Última atualização 27 abr 2020 às 11:47

O projeto de basquete masculino liderado pelo técnico Élcio Ortiz completa dez anos, em 2020, com um histórico de revelação de atletas. Nesse período, a equipe americanense formou jogadores que hoje figuram, inclusive, no cenário internacional.

Um deles é o ala-armador Vinicius Biagioni Vicenti, de 17 anos. Há dois anos, ele serve a Seleção Brasileira de base, pela qual venceu o Campeonato Sul-Americano Sub-15 em 2018.

Vinicius ficou dos 10 aos 13 anos com Élcio. “Foram os anos que eu consegui ter a minha maior evolução, que eu consegui ter o básico do basquete para poder seguir para os altos níveis e alcançar seleções brasileiras”, lembra o jogador, que atualmente defende o Paulistano.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Com o projeto do basquete, a equipe americanense está formando jogadores ao longo dos anos

O time americanense também exportou um atleta para os Estados Unidos: o pivô Eduardo Fiorotto, de 20 anos. Desde 2019, ele treina no Minot State University, que disputa a segunda divisão da NCAA (sigla em inglês para Associação Atlética Universitária Nacional).

O jogador atuou por Americana nas categorias Sub-13, Sub-14 e Sub-22. “Desde quando comecei a jogar basquete, o Élcio sempre esteve presente me ajudando, dando treino, dando conselho, conversando”.

Outros exemplos de jovens formados pelo projeto americanense são Gabriel Casassola, atualmente no elenco Sub-14 do CCP (Clube de Campo de Piracicaba), e Rauan Paulo Rodrigues, que está na equipe Sub-17 do Regatas de Campinas.

“Podemos, daqui uns anos, acreditar que a gente possa tê-los aqui de volta. Mas a princípio, hoje, Americana faz esse trabalho [de revelação], faz muito bem ainda, porque tem muitos meninos jogando fora” afirma Élcio.

Apoiado pelo Flamengo Futebol Clube e pela Secretaria Municipal de Esportes, o projeto americanense dá aulas para meninos de 8 a 17 anos. Os professores só pedem uma contribuição financeira aos pais, sem estipular valores.

Os treinos acontecem de segunda e quarta, no ginásio do São Pedro, das 17h30 às 18h45, para alunos de 8 a 13 anos, e das 18h45 às 20h30, para adolescentes de 14 a 17 anos. A escolinha ainda promove treinos às sextas, das 17h30 às 19 horas, no Flamengo, para jovens de 14 a 17 anos. “A gente gosta de enfatizar bastante que ele [o aluno] goste da modalidade basquetebol. Acho que é primordial o técnico fazer a criança gostar da modalidade que pratica”, diz Élcio.

Paralelamente, ele comanda o time feminino do Vera Cruz Campinas e, do ano passado para cá, por duas vezes, integrou um grupo de estudo que acompanha os treinamentos da seleção brasileira feminina.

Publicidade