12 de agosto de 2020 Atualizado 17:15

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Polêmica

Presidente do Barcelona detona Arthur por ausência nos treinos: ‘Injustificável’

Negociado com a Juventus, o brasileiro não voltou aos treinos e pediu para que a rescisão fosse adiantada pelo clube catalão

Por Agência Estado

01 ago 2020 às 21:00 • Última atualização 02 ago 2020 às 14:15

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, não gostou das decisões do meia brasileiro Arthur de não voltar aos treinos junto com a equipe e pedir para adiantar a rescisão de contrato com o clube espanhol. Arthur será jogador da Juventus na próxima temporada, já que foi envolvido pelo time catalão em uma troca pelo bósnio Pjanic. No entanto, a temporada do Barcelona ainda não está finalizada, já que o clube joga pela Liga dos Campeões.

“O que Arthur fez é falta de respeito por seus companheiros de equipe, porque o time quer ir bem na Liga dos Campeões. E também pelo clube. Não é lógico que, disputando um título tão importante, um jogador decida sair. É injustificável e totalmente incompreensível”, criticou Bartomeu em entrevista ao jornal espanhol Sport.

Segundo o mandatário, ninguém do clube autorizou Arthur a ficar sem treinar. “Ele não apareceu do retorno das mini-férias. É um ato inaceitável de indisciplina e é por isso que abrimos uma medida contra ele, porque não há argumento para justificar sua ausência. Ele ligou e disse: ‘Eu não voltarei, ficarei no Brasil’. A decisão é dele. Ninguém lhe deu permissão”, afirmou.

O Barcelona voltou aos treinos na última terça, visando a partida contra o Napoli, que ocorrerá em 8 de agosto. A equipe não poderá contar com Busquets e Vidal, suspensos, na partida, mas ainda assim Arthur acredita que não será utilizado pelo técnico Quique Setién, e, por isso, pediu a seus advogados para entrar em contato com Eric Abidal, secretário técnico do Barça, para pedir a rescisão adiantada.

Arthur não joga desde que assinou com a Juventus. O contrato do brasileiro com o novo clube será válido a partir de setembro de 2020.