06 de junho de 2020 Atualizado 08:41

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Esporte

Premier League pode enfrentar ações judiciais se a temporada não for concluída

Por Agência Estado

03 Maio 2020 às 09:51 • Última atualização 05 Maio 2020 às 14:26

O presidente do Crystal Palace, Steve Parish, alertou neste domingo que a Premier League, organizadora do Campeonato Inglês, pode enfrentar meses ou anos de ações judiciais se a temporada atual não for concluída devido à pandemia do novo coronavírus.

“Não quero, certamente, ter algumas conversar difíceis (sobre o cancelamento da competição). As ramificações de cada uma dessas soluções são complexas e envolvem disputas legais que se podem se arrastar por meses, ou anos”, escreveu Parish em um artigo publicado no jornal britânico The Sunday Times e replicado no site oficial do Crystal Palace.

Parish se manifestou favorável ao Projeto Reinício, elaborado pela Premier League e que visa a retomada da competição. O projeto teve o apoio de todos os clubes em reunião realizada na última sexta-feira. No entanto, um dos pontos de divergência no documento é a possibilidade de as equipes serem obrigadas a jogar as 92 partidas que restam em estádios neutros. Brighton e West Ham, ameaçados de rebaixamento, já expressaram preocupação com a questão, que ainda está sujeita à aprovação do governo e das autoridades sanitárias.

A liga inglesa está trabalhando com o governo para encontrar uma maneira segura de os jogadores retomarem o treinamento em grupo e recomeçarem os jogos a partir de junho. A ideia é que os jogos sejam reiniciados a partir do dia 8.

Há o temor de que a temporada seja finalizada precocemente na Grã-Bretanha, assim como aconteceu com a liga francesa e holandesa, dadas como encerradas por seus governos em meio a preocupações constantes sobre a disseminação do vírus nas instalações esportivas.

Enquanto o Paris Saint-Germain foi coroado campeão francês na semana passada, apesar da Ligue 1 terminar prematuramente, o Ajax, líder do Campeonato Holandês, não receberá o título.

“Quero completar a competição por razões de integridade esportiva”, disse Parish. “Quero que o Liverpool seja coroado campeão e que todos os outros clubes tenham a oportunidade de lutar pela melhor posição que puderem alcançar”, completou o dirigente.

Gary Neville, ex-zagueiro da Inglaterra e do Manchester United e atualmente comentarista da emissora Sky Sports, disse que a Premier League estava passando por um “pesadelo” e estava “se escondendo, morrendo de medo de comunicar” seus planos totalmente em público. A liga não disponibilizou qualquer executivo para entrevista desde que a competição foi suspensa há quase dois meses.

“Quero que o futebol volte. Eu também entendo as complexidades”, disse Neville em resposta ao tuíte de Parish sobre seu artigo. “Ninguém quer ser responsável por isso. Apenas no caso de o impensável acontecer… Eu os respeitaria mais se dissessem: ‘Aceitamos o aumento do risco à saúde, mas estamos dispostos a assumi-lo’. Eles não vão, pois têm medo da morte!”, acrescentou o ex-jogador.

O bloqueio nacional continua em vigor até a próxima quinta-feira na Grã-Bretanha, quarto país do mundo em número de casos da covid-19 – mais de 183 mil – e que registrou mais de 28.000 mortes.