28 de janeiro de 2021 Atualizado 08:27

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Esporte

Pietro Fittipaldi comemora chance no grid da F-1: ‘Estou preparado’

Por Agência Estado

30 nov 2020 às 11:21 • Última atualização 30 nov 2020 às 11:48

Pietro Fittipaldi vai realizar um sonho de infância no próximo domingo. O piloto de 24 anos vai estrear no grid da Fórmula 1, no GP de Sakhir, seguindo os passos da família. E não esconde a alegria pela chance e também por levar mais uma vez o sobrenome Fittipaldi a uma corrida da categoria. “Estou preparado”, garante o neto do bicampeão Emerson.

“É muito legal poder seguir o caminho do meu avô, do meu tio-avô Wilson, do meu tio Christian. E também do meu tio Max Papis, que também pilotou na Fórmula 1”, disse Pietro ao Estadão, referindo-se a Massimiliano Papis, que pertence a outro ramo da família. “Para mim, é incrível. Desde pequeno, todo piloto tem o sonho de correr na F-1.”

Ele garante estar preparado para a preciosa chance, após dois anos atuando como piloto reserva e de testes para a equipe Haas. “Você nunca sabe quando a oportunidade vai vir. Eu estava atuando como reserva da Haas neste e ano passado, e sempre estava me preparando. Sabia que precisava estar preparando para o caso de precisar subir no carro.”

Pietro conta que recebeu a boa notícia nesta segunda-feira, pela manhã, pelo horário local do Bahrein. “Hoje de manhã eu recebi uma mensagem do Günter para vir para a pista. Estava no hotel. Sentei com ele e perguntou se eu estava preparado. Eu disse que sim. Ele falou: é você quem vai pilotar no fim de semana. Sempre tive um bom relacionamento com ele. Sempre foi um cara muito direto comigo. Estou grato a ele, ao Gene Haas e a toda equipe pela oportunidade”, afirmou o brasileiro, referindo-se a Günter Steiner, chefe da Haas.

Apesar de celebrar a oportunidade rara na categoria, ele não deixou de lamentar as circunstâncias da sua estreia no grid. “Não é a melhor circunstância, mas o importante é que o Romain está bem. Poderia ter sido muito pior. Graças a Deus, ele está bem. Vou fazer o meu melhor possível, no meu primeiro fim de semana de F-1.”

A chance surgiu em razão do forte acidente protagonizado por Romain Grosjean, no domingo, no início do GP do Bahrein. Após ser tocado pelo russo Daniil Kvyat, o francês acertou com força o muro de proteção e seu carro se partiu em dois, em meio a uma forte explosão. Surpreendentemente, Grosjean saiu consciente e andando do local do acidente. Mesmo assim, sofreu queimaduras nas duas mãos e ficou impossibilitado de correr no domingo que vem.

A corrida será disputada novamente no Bahrein, mas com nome diferente: GP de Sakhir. Pietro será o 31º brasileiro a disputar uma corrida de F-1, encerrando um jejum que durava desde o fim de 2017. Foi quando Felipe Massa se despediu da Williams e também da categoria.

“Estou muito feliz pela oportunidade, pela confiança da equipe e por poder representar o Brasil no grid da F-1. É uma grande honra para mim, vou fazer o meu melhor”, prometeu o brasileiro.

A princípio, Pietro foi convocado para disputar somente o GP do próximo domingo. Mas, se Grosjean não se recuperar a tempo, o brasileiro poderá pilotar também na última corrida do ano, em Abu Dabi, no dia 13 de dezembro. “Eu não sei ainda como vai ser a última corrida do ano. Agora estou focado neste final de semana, junto com toda a equipe.”

Publicidade