24 de Maio de 2020 Atualizado 19:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Esporte

Pandemia deve fazer clubes terem receitas até 25% menores na temporada 2020

Por Agência Estado

05 Maio 2020 às 08:05 • Última atualização 05 Maio 2020 às 10:19

Os quatro principais clubes paulistas fecharam na última semana os balanços financeiros da temporada 2019 com algumas preocupações e certos de que o ano atual será ainda mais complicado. Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo acumularam juntos prejuízo de R$ 307,9 milhões no último exercício, número que representa um grande desafio para diretorias, já que todas terão pela frente em 2020 o desafio de lidar com um cenário econômico marcado pela diminuição de receitas causada pela pandemia do novo coronavírus.

Segundo estudo dos balanços dos clubes feitos pela consultoria Sports Value, São Paulo e Corinthians foram os maiores responsáveis pelo futebol paulista terminar 2019 no vermelho. O clube do Morumbi teve prejuízo de R$ 156 milhões, enquanto o alvinegro registrou o recorde negativo de R$ 177 milhões (juntos, somam R$ 333 milhões). Embora Palmeiras e Santos tenham mostrado superávit, o resultado foi tímido. A equipe da Vila Belmiro lucrou R$ 23,5 milhões graças principalmente às vendas de atletas e a alviverde arrecadou R$ 1,7 milhão.

De acordo com o responsável pelo estudo, Amir Somoggi, os números da temporada 2020 devem ser piores pela grande queda de receitas causadas pelos novo coronavírus. “Será o ano do choque de gestão no futebol brasileiro. É uma temporada decisiva. A situação é grave. Os clubes estão gastando demais”, explicou o especialista.

Pelas previsões de Somoggi, os clubes brasileiros terão um impacto de mais de R$ 1 bilhão em 2020 com a queda de receitas provocadas pela pandemia. A arrecadação pode ter uma redução de até 25%. Não por acaso, várias equipes têm realizado reduções salariais nos elencos para diminuir os prejuízos, como forma até de antecipar a esse revés. “O efeito do coronavírus será brutal. Mas tem uma outra questão mais assustadora: os times até podem cortar as receitas nesses meses, mas quando o futebol voltar, não quer dizer que a entrada de recursos também voltará imediatamente”, alertou.

Sobre os números da última temporada, o especialista comenta que os números são negativos pela falta de controle nos gastos. Juntos, os quatro principais times do futebol paulista gastaram nos seus elencos em 2019 cerca de R$ 1,7 bilhão, um aumento de 21% em comparação aos custos de 2018. As contratações caras e salários altos são as principais causas desses resultados. “O São Paulo está em um nível em que o gasto com futebol é maior do que toda a receita. Isso tinha de ser no máximo até 80% da receita”, disse.

Somoggi avalia que o Palmeiras é quem desfruta de uma condição mais favorável, por ter uma diversificação maior de receitas, porém reitera que o time alviverde teve como um grande aliado em 2019 o acordo para vendas de direitos de transmissão dos jogos do Campeonato Brasileiro.

A temporada deve ser movimentada para três dessas quatro equipes por causa de eleições para presidente. Corinthians, Santos e São Paulo terão disputas nas urnas no fim deste ano. Já o Palmeiras, só terá o processo eleitoral no fim de 2021.