12 de maio de 2021 Atualizado 11:28

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Paulistão

Palmeiras para em Alex Muralha, perde do Mirassol e se complica no Estadual

No Allianz Parque, Verdão até criou várias oportunidades, mas acabou surpreendido e perdeu por 2 a 1

Por Agência Estado

25 abr 2021 às 22:06 • Última atualização 25 abr 2021 às 22:38

Futebol e suas facetas. Dois dias após jogar muito mal e ser dominado, mas virar diante do Guarani, o Palmeiras fez uma boa apresentação no Allianz Parque, criou bastante chances claras de gols e acabou surpreendido pelo Mirassol. O goleiro Alex Muralha parou o atual campeão, defendendo até pênalti. A derrota por 2 a 1 deixa o time em situação delicada no Campeonato Paulista.

Restando quatro rodadas para o fim da primeira fase, a diferença em relação ao Novorizontino está em cinco pontos. Além de ganhar os jogos que restam, o Palmeiras, quem diria, terá de torcer por derrotas do rival do interior. Vale lembrar que o clube está priorizando a Copa Libertadores e usando escalações alternativas.

Palmeiras perdeu do Mirassol neste domingo e pode ficar fora da próxima fase do Paulistão 2021 – Foto: Cesar Greco / Ag. Palmeiras

A “culpa” da inesperada derrota no Allianz Parque tem nome e apelido. O goleiro Alex Muralha foi gigante na partida. Não apenas pelas belas e difíceis defesas, uma delas em cobrança de pênalti, mas também pela sabedoria de fazer lançamento rápido no lance do primeiro gol do Mirassol, líder isolado de sua chave, com 14 pontos, diante de 9 do Santos.

Ao palmeirense, o alento que alguns jovens começam a despontar e mostrar que podem, em um futuro próximo, se firmar no time de cima. Precisam, somente, de mais capricho nas finalizações e um pouco de calma. Outro fato é que a escalação diante do Independiente del Valle, pela Libertadores, nesta terça-feira, será bem diferente, mais forte com o retorno dos experientes titulares.

Em campo na última sexta-feira diante do Guarani, o uruguaio Viña mais uma vez foi escalado pra Abel Ferreira. Motivo? Pegou três jogos de suspensão por expulsão na final da Recopa Sul-Americana e não pode enfrentar os equatorianos. Atua no Estadual para não perder o ritmo até o retorno.

Outros jogadores experientes na escalação foram o goleiro Weverton e o meia Zé Rafael, bastante elogiado após os 2 a 1 sobre o Guarani. Do mais, muitos jovens, entre eles Pedro Bicalho, fazendo sua estreia e disposto a mostrar que a fama de diferenciado não é por acaso. A primeira aparição, contudo, foi discreta.

Diferentemente das apresentações contra Botafogo-SP e Guarani, deste vez o time alternativo do Palmeiras iniciou bem, com boas tramas e criando oportunidades. Giovani, Esteves, Zé Rafael e Rafael Elias por pouco não abriram o placar. Teve até bola no travessão. Abel Ferreira disse que era um bom desafio para os jovens e queria “proporcionar um bom espetáculo”. E, como o Mirassol também adora buscar o ataque, o jogo ficou aberto, corrido e vistoso. Nada de posturas defensivas. Era ataque de um lado, contragolpes do outro.

Quando dominava e via seu gol amadurecer, o Palmeiras acabou castigado em bela jogada do Mirassol. O visitante trabalhou em velocidade e Fabrício surgiu sozinho para concluir o passe de Moraes. Em uma etapa extremamente agradável, o empate não veio por dois milagres de Alex Muralha.

Abel Ferreira optou por reforçar o ataque na busca da igualdade. Nem bem começou a etapa final, contudo, e após duas falhas seguidas de Henri, a situação ficou ainda pior no jogo. O jovem defensor saiu errado e deu a bola para o rival. No lançamento, falhou na antecipação. Diego Gonçalves ampliou. O treinador português, que sempre toma cuidado nas palavras e nas atitudes para não “queimar” jogadores, mostrou reprovação no lance ao substituir o zagueiro pouco depois das falhas.

As trocas pioraram o desempenho e o ajustado Mirassol tinha as ações do jogo. Controlava bem a bola e chegava com perigo para ampliar. Até Neto Moura ser expulso. Com um a mais, o Palmeiras “voltou” a jogar bola. Tinha 30 minutos com um a mais. O problema era que, com tantos atacantes em campo, cada um queria decidir do seu modo.

A grande chance veio em pênalti restando 10 minutos. Gabriel Menino cobrou para nova defesa de Alex Muralha. O goleiro que saiu execrado do Flamengo por “não saber” defender pênaltis encaixou a bola. Newton ainda descontou no último minuto, mas já era tarde.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 1 x 2 MIRASSOL

PALMEIRAS – Weverton; Gustavo Garcia, Henri (Marcelinho), Empereur e Viña; Fabinho (Wesley), Pedro Bicalho (Gabriel Silva), Zé Rafael (Gabriel Menino) e Esteves (Newton); Giovani e Rafael Elias. Técnico: Abel Ferreira.

MIRASSOL – Alex Muralha; Daniel Borges, Danilo Boza, Reniê e Moraes (Rafinha); Ouama, Neto Moura e Cássio Gabriel (Lucas Silva); Diego Gonçalves (Ernandes, Fabrício (Sousa) e Pedro Lucas (Rafael Silva). Técnico: Eduardo Baptista.

GOLS – Fabrício, aos 28 minutos do primeiro tempo; Diego Gonçalves, aos 2, e Newton, aos 49 minutos do segundo tempo.

CARTÃO AMARELO – Alex Muralha (Mirassol).

CARTÃO VERMELHO – Neto Moura (Mirassol).

ÁRBITRO – Douglas Marques das Flores.

RENDA E PÚBLICO – Jogo com portões fechados.

LOCAL – Estádio Allianz Parque, em São Paulo (SP).

Publicidade