22 de abril de 2021 Atualizado 10:54

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Neymar rebate críticas e diz que continuará festejando: ‘Meu momento de relaxar’

Por Agência Estado

02 fev 2021 às 11:31 • Última atualização 03 fev 2021 às 12:00

Neymar sempre foi o dono dos holofotes, seja dentro ou fora das quatro linhas. Astro do Paris Saint-Germain e da seleção brasileira, o atacante nunca deixou de festejar com seus ‘parças’, o que sempre repercutiu em sua imagem como atleta. Em recente entrevista ao canal francês LCI, ele rebateu as críticas que sofre e diz que nunca irá parar de se divertir.

“Então, quem é que não gosta de festejar? Todo mundo gosta de curtir”, declarou Neymar. “Eu sei quando eu posso ir, eu sei quando eu posso fazer isso, e quando não posso”, rebateu o astro brasileiro. E não é só no Brasil. O camisa 10 é mundialmente conhecido por comandar festas com diversas celebridades, chamando a atenção da mídia quase que instantaneamente.

“É o contrário do que as pessoas pensam, de que eu sou imaturo, de que eu não sei o que estou fazendo”, respondeu o jogador. Ele completará 29 anos na próxima sexta-feira e, recentemente, próximo à véspera de Ano Novo, se envolveu em polêmica em que daria uma comemoração com 150 convidados no Rio de Janeiro, apesar da pandemia do novo coronavírus que assola o mundo.

Além disso, Neymar fez questão de enfatizar que não acredita que suas atitudes extra-campo influenciem seu desempenho nas partidas. “Estou no futebol há muitos anos”, declarou. “Se você ficar 100% com a cabeça focada em apenas jogar bola, na minha opinião, você vai acabar explodindo. Este é meu momento de relaxar, de ficar calmo… Eu nunca vou deixar de fazer isso”, garantiu.

Técnico do PSG, Mauricio Pochettino já foi questionado sobre a possibilidade de Neymar comparecer à festa de aniversário da irmã, tradicionalmente realizada próximo ao carnaval no Brasil. “Nós veremos quando a hora chegar”, disse o treinador. “Quando eu comecei a comandar, eu disse a mim mesmo que seria inflexível e que não deixaria ninguém sair.”

“Depois de 12 anos na profissão, eu me dei conta que é importante ser flexível e eu gosto de negociar tudo. A nova geração gosta de dar sua opinião e de ser ouvida. Você não consegue nada com coisas impostas. Você tem de negociar”, completou o técnico.

Publicidade