Murilo Sartori se despede da Olimpíada da Juventude

Atleta caiu na piscina pela última vez nesta quinta-feira e ficou em 13º na prova dos 800m


O americanense Murilo Sartori encerrou sua participação nos Jogos Olímpicos da Juventude nesta quinta-feira, com a 13ª colocação nos 800 metros livre. Nas eliminatórias, o nadador fez o tempo de 8min22s27, resultado que o deixou fora da final. O evento acontece em Buenos Aires, na Argentina.

O atleta de 16 anos volta para Americana com uma medalha de prata, a qual ele conquistou nos 4x100m livre, na última terça-feira. Além de Murilo, o quarteto vice-campeão ainda contou com André Calvelo, Vitor Souza e Lucas Peixoto. O americanense também esteve entre os finalistas nos 200m livre, com a sexta posição, e ficou em 14º lugar nas eliminatórias dos 400m livre.

Foto: Jonne Roriz / Exemplus / COB
Com o fim da disputa olímpica, foco do americanense passa a ser o Campeonato Brasileiro Juvenil

Nas Olimpíadas da Juventude, ele alcançou a melhor marca pessoal em três provas: 1min49s02 nos 200m, 3min55s76 nos 400m e 50s55 nos 4x100m. Nos 800m, Murilo havia tido um desempenho superior em abril, no Troféu Maria Lenk, quando cravou 8min20s07.

Os Jogos eram o principal objetivo do americanense em 2018. Com o fim da disputa, o foco dele passa a ser o Troféu Carlos Campos Sobrinho, o Campeonato Brasileiro Juvenil. A competição vai acontecer entre os dias 12 e 15 de dezembro, em Porto Alegre (RS).

Na edição de 2017, Murilo venceu tudo que disputou. Nos 200m e 400m livre, ele também cravou o novo recorde nacional da categoria Juvenil 1, que abrange atletas de até 15 anos. Nos 100m livre e 200m medley, o americanense atingiu a melhor marca do torneio.

Foto: Pedro Ramos/ rededoesporte.gov.br
A programação de Murilo para 2019 também está definida

ANO QUE VEM

A programação de Murilo para 2019 também está definida. O nadador buscará classificação para o Mundial Júnior, evento que reúne atletas de até 18 anos e, portanto, é similar às Olimpíadas da Juventude.

A competição pode indicar se o americanense terá condições de ir atrás de uma vaga nos Jogos Olímpicos de 2020, que vão ocorrer em Tóquio, no Japão. A seletiva para o Mundial será o Troféu Maria Lenk.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!