Cesar Cielo critica CBDA e diz que não se vê na Olimpíada de 2020

Em entrevista coletiva, nadador barbarense criticou a duração dos campeonatos brasileiros e sugeriu mudanças para melhorar a natação brasileira


O ouro olímpico do barbarense Cesar Cielo, nos Jogos de Pequim, em 2008, completará dez anos na próxima quinta-feira, dia 16. No entanto, para ele, o clima não é de festa para a natação brasileira. Nesta quarta-feira, o nadador de 31 anos falou sobre a conquista em entrevista coletiva, mas também fez críticas à CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) e sugeriu mudanças. Ele conversou com os jornalistas no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo.

O presidente da confederação é Miguel Cagnoni, que assumiu o cargo em junho de 2017. Cielo disse que a gestão está abaixo de suas expectativas.“A gente teve uma mudança na CBDA, mas ela foi uma mudança meio que de tabela, no papel. Não estamos sentindo, efetivamente, a mudança dela na prática”, comentou.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Barbarense enalteceu necessidade de melhorias na modalidade

O barbarense criticou a duração dos campeonatos brasileiros. Cada um, atualmente, conta com cinco dias de disputa. Para ele, esse período deveria ser menor, assim como ocorre em países europeus e nos Estados Unidos. “Não tem por que os clubes terem de bancar uma semana inteira a equipe inteira fora de casa, com hotel, transporte”.

Cielo ainda apontou que a CBDA precisa aumentar o número de competições, para que haja maior cobertura da imprensa. “Não dá para a gente ficar dependendo também de vocês da imprensa se o nosso conteúdo é o que está no Instagram. O povo quer ver a gente nadando, competindo. Não quer ver a gente com uma touca nova ou brincando no final de semana com o cachorro”, destacou.

O nadador ainda afirmou ser contra o atual sistema de pontuação dos torneios. O modelo prevê bonificação para atletas que baterem recordes. “Quem que vai bater o recorde dos 50 e 100 livre hoje no Brasil? É o recorde mundial. Não acredito ser justo um recorde sul-americano de outra prova pontuar três vezes mais que o campeão dos 50 e 100 livre. Porque a dificuldade do recorde é muito maior”.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da CBDA, mas não houve resposta até o fechamento desta matéria.

Aposentadoria?

Cesar Cielo disse que, atualmente, não pensa em disputar os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio, no Japão. Neste momento, ele tem outro objetivo: a classificação para o Campeonato Mundial de Piscina Curta.

O evento será de 11 a 16 de dezembro, em Hangzhou, na China. A seletiva brasileira para o torneio é o Troféu José Finkel, que vai acontecer entre os dias 24 e 29 deste mês, no Esporte Clube Pinheiros.

“Hoje, para ser bem sincero, eu não me vejo em 2020. Não faz parte dos meus objetivos na água hoje. Mas, como eu estou indo de temporada a temporada, estabeleci de que, se eu conseguir um bom resultado neste ano, vou para mais uma temporada, se meu corpo permitir isso também. Então, com relação a 2020, zero promessa”, comentou.

Cielo afirmou sentir que, “de certa forma”, também pode ajudar o esporte de fora das piscinas, com ações em prol da modalidade. Atualmente, ele reveza os treinos no Pinheiros com a vida de empresário. O barbarense se tornou sócio da empresa Fiore Sports, fábrica que trabalha com produtos de natação.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!