07 de agosto de 2022 Atualizado 18:55

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Nadal desiste do Masters de Montreal e vira dúvida para o US Open

Por Agência Estado

05 de agosto de 2022, às 12h04 • Última atualização em 05 de agosto de 2022, às 13h51

Maior destaque da temporada, Rafael Nadal anunciou nesta sexta-feira que não vai disputar o Masters 1000 de Montreal, no Canadá, e virou dúvida para o US Open, o quarto e último Grand Slam do ano, marcado para o fim do mês. O tenista espanhol alegou dores abdominais para se ausentar da competição canadense.

“Desde as férias e do retorno aos treinamentos, tudo estava indo bem, mas faz quatro dias que comecei a treinar o saque e, no treinamento de ontem (quinta), tive uma pequena dor que seguiu incomodando hoje. Decidimos não viajar a Montreal e seguir com os treinamentos sem forçar”, explicou o atual número três do mundo.

Trata-se do mesmo problema que fez o espanhol abandonar o Torneio de Wimbledon antes de disputar partida da semifinal. A lesão vinha sendo tratada desde Roland Garros, quando Nadal foi campeão apesar das fortes dores no abdômen. Ele chegou a ser dúvida para Wimbledon, mas conseguiu jogar e venceu partidas em sequência até reclamar de dores mais fortes nas quartas de final.

A lesão abdominal atrapalhava o movimento do saque, o que acabou motivando o abandono da competição inglesa. Desde então, Nadal virou dúvida para o restante da temporada. A decisão de não competir em Montreal, onde já foi campeão por cinco vezes, aumenta a expectativa sobre o US Open.

Até a lesão, Nadal vinha dominando os torneios de Grand Slam na temporada. Foi campeão do Aberto da Austrália antes de brilhar em Roland Garros. Ele soma 19 vitórias consecutivas em competições deste nível. E ostenta o recorde de títulos, com 22 troféus.

A baixa enfraquece ainda mais a chave do Masters de Montreal, que já não contará com Novak Djokovic. O sérvio anunciou a desistência na quinta. As vagas dos dois tenistas na chave serão ocupadas pelo americano Mackenzie McDonald e pelo australiano Nick Kyrgios, vice-campeão de Wimbledon.

Publicidade