26 de fevereiro de 2021 Atualizado 20:48

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Na mira do São Paulo, Villas-Boas é suspenso no Olympique de Marselha

Por Agência Estado

02 fev 2021 às 17:03 • Última atualização 03 fev 2021 às 12:01

O Olympique de Marselha revelou, nesta terça-feira, em um comunicado, que André Villas-Boas está suspenso das responsabilidades de técnico da equipe. O anúncio foi feito poucas horas depois de o treinador português manifestar seu desejo de sair, por causa de desentendimentos com a diretoria por causa da contratação de reforços.

“Esta decisão preventiva foi inevitável tendo em conta a recente repetição de ações e atitudes que prejudicam gravemente a instituição Olympique de Marselha e seus funcionários, que a defendem no dia a dia”, escreveu o clube na nota. “As declarações proferidas hoje (terça-feira) em conferência de imprensa contra Pablo Longoria, gerente geral responsável pelo futebol, são inaceitáveis.”

As críticas de Villas-Boas ao trabalho do departamento de futebol do Olympique foram feitas três dias depois de um violento protesto vivido no centro de treinamento do clube por centenas de torcedores insatisfeitos com a gestão do clube devido aos maus resultados da equipe, o que obrigou até o adiamento da partida contra o Rennes pelo Campeonato Francês

Um ponto que desagradou ao treinador foi a contratação, nesta segunda-feira, de Olivier Ntcham. “Não tenho nada a ver com esta decisão, que soube pela imprensa. É um jogador cuja contratação fui contra. Ele nunca esteve na nossa lista e eu não fui a favor. Por isso apresentei a minha demissão, sem pedir nada (economicamente) ao Marselha”, disse o treinador, apontado como uma das opções para substituir Fernando Diniz no São Paulo.

“Ofereci minha demissão devido às diferenças na política esportiva. Não estava atualizado (sobre a contratação do Ntcham)”, disse. “É um menino que nada tem a ver com as características de quem saiu (Morgan Sanson, recentemente transferido para o Aston Villa). Essa não é minha forma de trabalhar. Minha profissão foi atacada”, completou Villas-Boas.

Publicidade