Sob temor ao coronavírus, tocha olímpica é acesa na Grécia


A chama dos Jogos Olímpicos de Tóquio foi acesa nesta quinta-feira, no berço dos Jogos antigos, em uma cerimônia reduzida e sem a presença de público por causa do surto do coronavírus, dando início ao revezamento da tocha, que se encerrará em 24 de julho, com a realização da cerimônia de abertura.

Em pé na frente das ruínas do templo de Hera em Olímpia Antiga, a atriz grega Xanthi Georgiou, fazendo o papel de sacerdotisa pagã, usou um espelho côncavo para direcionar os raios do sol para uma tocha de prata, provocando o fogo.

Foto: Thanassis Stavrakis / ASSOCIATED PRESS / Estadão Conteúdo
Cerimônia de acendimento da chama olímpica da Olimpíada de Tóquio-2020

Depois, ela a passou para a atiradora grega Anna Korakaki, medalhista de ouro nos Jogos do Rio e responsável por iniciar o revezamento. A próxima a portá-la foi a japonesa Mizuki Noguchi, campeã olímpica da maratona em 2004.

Após um revezamento de sete dias pela Grécia, a chama será entregue aos organizadores dos Jogos de Tóquio na próxima semana em uma cerimônia no antigo estádio reconstruído em Atenas onde foi realizada a primeira edição da era moderna da Olimpíada, em 1896. No Japão, o revezamento da tocha começará em 26 de março a partir da província de Fukushima que foi devastada pelo terremoto e tsunami de 2011.

A parte cerimonial do evento de acendimento da tocha olímpica foi realizada com seu tradicional esplendor: jovens utilizando roupas tradicionais, uma oração para Apolo – o deus grego da luz -, danças sob o som de flautas e tambores, tudo isso sob um esplêndido céu azul.

Mas o medo do coronavírus forçou as autoridades gregas a proibir a presença do público na cerimônia, algo que não ocorria desde 1984, além de reduzir severamente o número de convidados e jornalistas. Normalmente, milhares de pessoas de muitos países se reúnem nas margens do antigo estádio de Olímpia para acompanhar a cerimônia.

Os Jogos antigos começaram em 776 a.C. e foram realizados em Olímpia por mais de 1.000 anos, até que foram interrompidos nos primeiros anos do cristianismo por causa de seu passado pagão.

“Dezenove semanas antes da cerimônia de abertura, estamos fortalecidos neste compromisso das muitas autoridades e organizações esportivas de todo o mundo que estão tomando tantas medidas importantes para conter a disseminação do coronavírus”, disse Thomas Bach, presidente do COI. “Somos gratos ao povo japonês que está abraçando esses Jogos com tanto entusiasmo”, acrescentou.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora