Seleção masculina de handebol leva bronze no Pan ao bater o México


Um dia após decepcionar nas semifinais e perder para o Chile, a seleção brasileira masculina de handebol faturou nesta segunda-feira a medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Lima ao derrotar o México por 32 a 20, mantendo o retrospecto de sempre ir ao pódio dessa modalidade. São, agora, três ouros, quatro pratas e dois bronzes.

No confronto pelo terceiro lugar, o mexicano Arturo Sandoval foi o artilheiro, com seis gols. Assim, ele marcou uma vez a mais do que os brasileiros João Silva, Felipe Borges, Oswaldo Maestro e Raul Nantes, que fizeram cinco gols cada.

O Brasil liderou o placar desde o início da partida desta segunda-feira, abrindo 2 a 0 logo no começo. Os mexicanos chegaram a ficar próximos no placar, perdendo por 10 a 9, mas a seleção foi ao intervalo ganhando por 16 a 10. E repetiu os 16 a 10 no segundo tempo, fechando o confronto em 32 a 20. Assim, voltou a bater o México, a quem havia derrotado na fase de grupos por 33 a 23.

Este, porém, foi o pior desempenho da seleção no handebol dede o Pan de 1987, quando a equipe nacional também voltou de Indianápolis com a medalha de bronze. E o resultado complica a busca brasileira para ir aos Jogos de Tóquio, pois o campeão olímpico garante vaga direto no evento em 2020, enquanto o segundo colocado vai ao Pré-Olímpico Mundial.

Resta ao Brasil a possibilidade de herdar uma vaga no Pré-Olímpico graças ao bom desempenho no Mundial deste ano. É que as seis melhores equipes da competição ainda não classificadas para a Olimpíada pelos campeonatos continentais têm direito a disputar o Pré-Olímpico. Nono colocado no Mundial, o Brasil precisa então que o Egito vença o Campeonato Africano e que o classificado pelo Campeonato Europeu seja Noruega, França, Alemanha, Suécia, Croácia ou Espanha. Os dois torneios continentais serão em janeiro de 2020.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora