Drama, lesão e superação para a corrida

Corredores de Americana vão à prova em São Paulo, nesta segunda-feira, dia 31, após passarem por problemas pessoais


Ocimar Scapinello ficou num estado que beirava à morte em 2012 e perdeu a esposa numa mesa de cirurgia no ano seguinte. Mas, em 2017, o morador de Americana encontrou, na corrida, uma forma de motivação. Após um ano e meio de prática, nesta segunda-feira, ele marcará presença na principal prova de rua do País, a Corrida Internacional de São Silvestre, em São Paulo.

O drama de Scapinello, que hoje tem 54 anos, teve início quando ele se deparou com um quadro de hepatite autoimune, doença caracterizada por uma inflamação no fígado.

“Em função da gravidade da coisa, atingiu o sistema neurológico, e eu perdi todos os movimentos dos braços e pernas. Eu não conseguia, não tinha força para nada, não andava sozinho, não pegava nada”, disse.

Foto: Divulgação
Largada da São Silvestre será nesta segunda-feira, a partir das 8h20; prova reúne 30 mil corredores, entre profissionais e amadores

O atleta se recuperou com a ajuda da mulher, porém, em 2013, não pode mais contar com ela. A esposa morreu por conta de complicações decorrentes de uma cirurgia bariátrica.

Em busca de reação, Scapinello começou a praticar musculação e, depois, tênis. No entanto, ele tomou gosto mesmo pela corrida. Contudo, no currículo, ainda falta uma participação na São Silvestre.
“Você pode falar que correu uma maratona, mas as pessoas perguntam: ‘E a São Silvestre? Quantas você correu?’. E por isso, agora, vou para a minha primeira São Silvestre”, contou ao LIBERAL.

Lesão

Após quatro anos fora da corrida de São Silvestre, o americanense Renato Afonso Vianna voltará à competição nesta segunda-feira, em São Paulo. Nesse período de ausência, o atleta de 42 anos se recuperava de uma cirurgia no joelho.

Ele contou que, há três meses, está se preparando para a prova paulistana. No entanto, por conta da lesão, o corredor tem treinado com cautela.

Apesar desse cuidado, Vianna afirmou que, durante a corrida, buscará o melhor tempo possível. “Estou treinando devagarzinho, aos poucos, mas dá para a gente superar isso”, disse.

Em sua última participação, ele fez o tempo de 55min e conseguiu a 119ª colocação. Neste ano, o americanense participará da corrida pela quinta vez e tentará, inclusive, estabelecer a melhor marca pessoal.

“Como eu estou voltando agora a treinar, meu objetivo é completar o percurso da Corrida de São Silvestre, tentar abaixar o meu tempo e conseguir um bom resultado na prova, chegar por inteiro”, declarou Vianna, que, antes da contusão, também costumava correr maratonas.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora