Delegação da Wada visita Rússia para vistoriar laboratório antidoping

Uma delegação da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) desembarcou nesta quarta-feira, em Moscou, para ter reuniões com…


Uma delegação da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) desembarcou nesta quarta-feira, em Moscou, para ter reuniões com as autoridades russas e também visitar o laboratório responsável pelos exames na tentativa de ter acesso a dados que

poderiam significar mais proibições para os principais atletas russos que trapacearam nos últimos anos.

O governo russo deve fornecer dados antes de 31 de dezembro ou correr o risco de ter

a sua agência antidoping (Rusada, sigla em inglês) suspensa novamente, dois meses depois de sua controversa reintegração. “Estamos muito satisfeitos por estar aqui na Rússia para este importante encontro”, disse Olivier Rabin, chefe da delegação da Wada. “Acreditamos que é um sinal de que estamos progredindo em nossas discussões com as autoridades russas.”

A Wada encontrou fortes evidências de que a Rússia rotineiramente falsificou resultados de testes antidoping, incluindo nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, em Sochi, mas agora aguarda que as autoridades russas forneçam dados verdadeiros desta vez. Amostras armazenadas dos atletas para análise até 30 de junho também deverão ser apresentadas.

Advogado de Grigory Rodchenkov, ex-diretor do laboratório e denunciante da Wada, Jim Walden disse que a Rússia deverá reter os dados ou fornecer informações falsas. “Eu diria que há uma chance zero de que a Rússia dê acesso aos dados de backup dos computadores que foram usados durante Sochi e das amostras armazenadas no laboratório”, afirmou. “A questão central é saber o que a Wada fará diante da recusa dos russos? Eu acho que há uma chance substancial de que se a Rússia fornecer qualquer coisa, será manipulada.”

Os representantes da Wada não devem receber nenhum dado nesta primeira visita. O objetivo é apenas definir um procedimento para um segundo encontro. “Hoje não temos acesso a nenhum dado”, disse Rabin. “Estamos explicando o que esperamos e estamos discutindo com nossos colegas russos o que eles esperam também desta visita técnica em dezembro.”

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!