Com tênis de mesa, Riocentro recebe primeiro teste para a Olimpíada de 2016


Após ter sediado o evento-teste de bocha paralímpica na semana passada, o Riocentro recebe a partir desta quarta-feira o seu primeiro teste para os Jogos Olímpicos do Rio-2016. Até sábado, o Pavilhão 4 do complexo sediará um torneio amistoso de tênis de mesa, que reunirá 43 atletas da América do Sul e da Europa.

O evento, porém, ficará bem distante das disputas que irão valer medalha em agosto do próximo ano. Por não conceder pontos no ranking mundial, não ser classificatório nem mesmo prever premiação em dinheiro, a competição não contará com as principais potências do esporte. Além do Brasil, apenas Argentina, Chile e Inglaterra estarão na disputa.

“Os países que têm tradição acabaram cancelando a vinda porque eles teriam que pagar todas as despesas”, comentou Gustavo Tsuboi, um dos principais mesa-tenistas brasileiros na atualidade. “Mas pra gente vai ser uma oportunidade de já saber como é o ginásio, a luz, o piso, a mesa, a bola e o esquema de organização”.

O local da disputa, porém, não será exatamente o mesmo dos Jogos do Rio-2016. Na Olimpíada, a competição acontecerá no Pavilhão 3. “Não deve ter muito impacto porque a área de jogo é praticamente a mesma. Estamos testando o mesmo equipamento, a mesma iluminação e o mesmo piso”, garantiu Edmilson Pinheiro, gerente de Tênis de Mesa do Rio-2016.

São essas semelhanças que animam Bruna Takahashi, que, aos 15 anos, é uma das principais promessas do Brasil na modalidade. No início do mês, ela conquistou o título do Desafio Mundial da categoria cadete, disputado no Egito. “Dá uma motivação a mais porque você está testando o local e já vai ter passado por ali na Olimpíada”, afirmou.

Como tem acontecido na maioria dos eventos-teste, a competição será fechada ao público em geral. Mas, na sexta-feira e no sábado, o local poderá receber até 200 pessoas. Elas ganharam convites em uma ação do comitê realizada na Central do Brasil.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora