19 de julho de 2024 Atualizado 17:28

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Lateral do Internacional passa a noite em hospital após forte choque de cabeça

Por Agência Estado

08 de julho de 2024, às 09h22

O lateral-esquerdo Renê passou a noite no hospital, em observação, após protagonizar forte choque de cabeça com o zagueiro Rojas, na partida entre Internacional e Vasco, no domingo, pela 15ª rodada do Brasileirão. O jogador do Inter “encontra-se bem e consciente”, de acordo com o clube gaúcho.

“O Internacional informa que, após a realização dos primeiros exames, o atleta Renê encontra-se bem, consciente e falando normalmente. O lateral-esquerdo passará a noite em observação para plena recuperação”, informou a direção do Inter, ainda na noite de domingo.

Renê deu um susto tanto em seus colegas de time quanto nos rivais vascaínos ao cair desacordado em campo após se chocar de cabeça com Rojas numa disputa de bola aérea. O lance, que aconteceu aos 40 minutos do primeiro tempo após a cobrança de escanteio para a equipe cruzmaltina, chocou os torcedores presentes no estádio.

Rapidamente, a equipe médica do Internacional entrou em campo para prestar atendimento ao jogador. Renê deixou o gramado de ambulância, acordado, e foi encaminhado ao Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre, para exames complementares.

Em meio à preocupação com a saúde do jogador, surgiu a informação de que Renê não deveria estar em campo na partida contra o Vasco. O lateral havia recebido o terceiro cartão amarelo na rodada anterior, contra o Fluminense, o que resultaria em suspensão automática. No entanto, o árbitro da partida não registrou o cartão amarelo na súmula, o que permitiu que o lateral fosse escalado para o jogo desta rodada.

Renê foi substituído pelo zagueiro Robert Renan aos 46 minutos do primeiro tempo. O Inter acabou sendo derrotado pelo Vasco por 2 a 1, em seu retorno ao estádio Beira-Rio, que ficou inundado por seguidas semanas em razão das enchentes no Rio Grande do Sul. Ao todo, a arena ficou sem poder ser utilizada por 70 dias.

Publicidade