15 de julho de 2024 Atualizado 10:24

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Esporte

Gustavo Silva e Arthur Sousa solicitam rescisão do Corinthians por atraso de pagamentos

Por Agência Estado

03 de julho de 2024, às 23h54

Os atacantes Gustavo Silva e Arthur Sousa solicitaram a rescisão contratual do Corinthians na Justiça por atraso no pagamento do FGTS. Os jogadores não compareceram ao treino realizado no CT Joaquim Grava na tarde desta quinta-feira, 3. O clube levou o assunto ao departamento jurídico para tomar as medidas cabíveis.

O caso de Gustavo Silva, mais conhecido como Mosquito, foi noticiado primeiramente pela Rádio Bandeirantes e confirmado pelo Estadão. O atacante foi titular no clássico com o Palmeiras, vencido pelo rival por 2 a 0, na segunda-feira, e vinha sendo utilizado regularmente. O vínculo do atleta com o clube era até setembro de 2025.

Arthur Sousa, destaque na Copinha, não vinha tendo muitas oportunidades. Ele balançou as redes pelo profissional em fevereiro, na derrota por 2 a 1 para o São Paulo, e entrou pela última vez no empate por 1 a 1 com o Athletico-PR. O contrato do atleta havia sido renovado até o fim de 2026.

A notícia surge horas depois de o Corinthians apresentar Fred Luz, ex-Flamengo, como CEO, além de Pedro Silveira como diretor financeiro. Em coletiva, Luz citou a quitação de pendências dos atletas como uma das prioridades do clube, que receberá um adiantamento de R$ 150 milhões pelo acordo com a Liga Forte União pelos direitos de transmissão.

“Os atletas Gustavo Silva e Arthur Sousa não compareceram ao treino desta quarta-feira. Com isso, o assunto está entregue ao departamento jurídico para tomar as medidas cabíveis”, informou o Corinthians.

O caso se assemelha ao do meia Matías Rojas. O paraguaio acionou a Fifa e rescindiu unilateralmente com o Corinthians alegando atraso do pagamento dos direitos de imagem. A entidade condenou o clube a pagar R$ 40 milhões ao atleta, atualmente no Inter Miami, dos Estados Unidos. O clube recorre da decisão.

Publicidade