Santos vence Atlético-GO por 3 a 0 e avança à 4ª fase

Após ficar quase três meses sem atuar no seu estádio por causa de obras de modernização, o time retornou e venceu equipe goiana por 3 a 0


A volta do Santos à Vila Belmiro foi com vitória e classificação. Após ficar quase três meses sem atuar no seu estádio por causa de obras de modernização, o time retornou para casa com uma atuação convincente e o triunfo por 3 a 0 sobre o Atlético Goianiense, avançando à quarta fase na Copa do Brasil, sob os olhares de quase 12 mil torcedores.

A vitória foi importante para evitar nova decepção ao Santos, que caiu na última segunda-feira para o Corinthians nas semifinais do Campeonato Paulista e antes havia deixado a Copa Sul-Americana na primeira fase, contra o uruguaio River Plate. O próximo adversário do Santos na competição – antes eliminou Altos-PI e América-RN – será definido através de sorteio marcado para esta sexta-feira.

Foto: Ivan Storti / Santos FC
Uruguaio Carlos Sánchez marcou dois gols na vitória do Santos por 3 a 0 sobre o Atlético-GO

Assim como em partidas anteriores, o Santos exibiu grande volume ofensivo, ainda que só tenha marcado o seu primeiro gol aos 44 minutos, o que lhe deu mais tranquilidade para o segundo tempo, ainda mais que havia perdido o duelo de ida por 1 a 0. E depois assegurou o triunfo no segundo tempo.

O uruguaio Carlos Sánchez brilhou com dois gols – o outro foi de Rodrygo. E Jean Mota também se destacou com duas assistências. Já o Atlético-GO, que no domingo começa a decidir o Estadual com o Goiás, só deixou o campo defensivo quando estava perdendo por 2 a 0 e chegou a assustar o Santos, mas sem conseguir evitar a sua eliminação.

O JOGO – No jogo da sua volta à Vila Belmiro, o Santos entrou com algumas surpresas na escalação, como a improvisação de Diego Pituca na lateral esquerda, e as presenças de Jean Mota, que era dúvida por causa de dores no joelho, e de Rodrygo, que vinha sendo reserva. Além disso, havia três novatos no estádio com a camisa do clube: Everson, Aguilar e Soteldo.

Com essas atrações, o Santos impôs pressão nos minutos iniciais, quase marcou um gol em cabeceio de Alison e ainda reclamou de um pênalti não marcado em Derlis González. Aos poucos, porém, o volume foi diminuindo, porque os armadores erravam o passe que poderia colocar algum companheiro em boa condição de finalizar. E ainda levou um susto em um contra-ataque que só não terminou em gol de Pedro Raul por causa da ótima defesa de Everson.

Mas a partir daí, o Santos impôs volume de jogo impressionante, com outro goleiro brilhando: Kozlinski, fazendo defesas difíceis em lances que tiveram a participação direta de Carlos Sánchez. Só que a insistência santista e do uruguaio foram premiadas aos 44 minutos, quando Jean Mota deu um lindo lançamento para o meio-campista, que só desviou do goleiro para marcar.

Se demorou para abrir o placar na etapa inicial, o Santos marcou logo no primeiro minuto do segundo. E foi com um belo gol e que teve novamente a participação direta de Jean Mota, que fez cruzamento na grande área para Rodrygo bater de primeira, fazendo 2 a 0.

O Santos parecia ter o jogo sob controle, mas a manutenção da postura ofensiva, ocupando o campo de ataque, rendeu sustos, aos dez minutos, quando Matheuzinho, da entrada da grande área, acertou a trave, e também aos 17, após erro de Rodrygo, em que Pedro Bambu finalizou para fora.

Mas como o Santos não diminuiu o seu volume, chegou ao terceiro gol já no fim. Aos 39 minutos, Soteldo, nas grande área, rolou para Sánhez, que bateu de primeira, marcando pela segunda vez no duelo.

O Atlético-GO ainda acertou o travessão em cabeceio de Jorginho. E Cueva, que havia entrado em campo aos 34 minutos, foi expulso aos 48, por solada. Mas nada que impedisse a volta festiva do Santos ao seu estádio.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 3 X 0 ATLÉTICO-GO

SANTOS – Everson; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Lucas Veríssimo e Diego Pituca; Alison (Cueva), Carlos Sánchez, Jean Mota e Soteldo; Rodrygo e Derlis González (Jorge). Técnico: Jorge Sampaoli.

ATLÉTICO-GO – Maurício Kozlinski; Jonathan, Lucas Rocha, Gilvan e Nicolas (Reginaldo); Pedro Bambu, Washington (André Luís) e Jorginho; Matheuzinho (Gilsinho), Pedro Raul e Mike. Técnico: Wagner Lopes.

GOL – Carlos Sánchez, aos 44 minutos do primeiro tempo. Rodrygo, a um minuto do segundo tempo. Carlos Sánchez, aos 39 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ).

CARTÕES AMARELOS – Gilvan, Nicolas, Jonathan, Washington, Jorginho e Reginaldo.

CARTÃO VERMELHO – Cueva.

RENDA – R$ 314.220,00.

PÚBLICO – 11.623.

LOCAL – Vila Belmiro, em Santos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora