Sampaoli diz que apoio de Pelé o pressiona por permanência no Santos

Apesar do apoio de Pelé e do forte coro em favor de sua permanência, treinador não tem uma bola relação com a diretoria


Foto: Ivan Storti - Santos FC
“Foi pressão muito forte. Pelé dizendo para eu ficar… Se disser pessoalmente, me coloca em um problema”

Celebrado pela torcida e querido pelos jogadores, Jorge Sampaoli voltou a falar sobre a possibilidade de permanecer no Santos em 2020. O tema é recorrente e ganhou mais um capítulo com a declaração recente de Pelé, que elogiou o trabalho do treinador argentino e pediu que ele fique no comando do time da Vila Belmiro.

“Foi pressão muito forte. Pelé dizendo para eu ficar… Se disser pessoalmente, me coloca em um problema. Esse tipo de presença e alento de alguém tão forte me gera extremo compromisso. Quero vê-lo antes de sair dessa cidade, me daria uma força incrível vê-lo assistindo à equipe que eu comando”, considerou o treinador.

Apesar do apoio de Pelé e do forte coro em favor de sua permanência, Sampaoli não tem uma bola relação com a diretoria e isso pode pesar para a sua saída. O treinador revelou que não fala com o presidente José Carlos Peres há cinco meses e indicou que, se o cenário não mudar, a torcida será enganada em 2020.

“Tive um adiantamento com a postura do Santos pelo diretor esportivo e finanças. Apresentaram muita dificuldade para 2020. Não falo com o presidente há cinco meses, falo mais com (Paulo) Autuori. Se o conjunto tem que ser reforçado pela realidade esportiva, mas é preciso vender por causa da realidade econômica, o projeto de 2020 será diferente do que pensamos. Não tenho claro se há alguma estratégia para buscar possibilidade se isso mudar. Se não mudar, e temos que diminuir o elenco e buscarmos títulos, é enganar a torcida”, opinou.

Sampaoli agradeceu ao carinho dos torcedores, mas disse que a sua continuidade no comando do time alvinegro na próxima temporada está condicionada a um projeto vencedor, que inclui a montagem de um elenco forte.

“A decisão é profissional, não tem a ver com meu coração, tem a ver com o êxito. Se o Santos me oferecer um projeto para ganhar, me encanta ficar perto de quem me dá muito carinho”, disse o argentino. “Sei que o clube tem muitas dificuldades financeiras, mas faz meses que não falo com eles sobre isso e precisamos encarar essa realidade”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora